Home » Cadeia do Leite » Criação de búfalos aprimora a integração lavoura-pecuária na Região Sul

Criação de búfalos aprimora a integração lavoura-pecuária na Região Sul

12/09/2017 09:54:43 - Por: SF Agro

Os animais são menos suscetíveis a doenças, mais adaptados a ambientes hostis e possuem um custo de produção 20% menor em comparação com bovinos.

Responsive image
Manejar bem as pastagens é o segredo de sucesso do produtor e médico veterinário João Kurtz Amantino. Há mais de 40 anos, o produtor trabalha com produção de leite, num plantel de 270 vacas Holandês, além da produção de soja, milho e trigo onde o melhoramento de campo nativo resultou numa produtividade de grãos até 40% superior. Apesar de se tornar referência em integração lavoura-pecuária leiteira, é o plantel de búfalos que o produtor gosta de mostrar. “Comecei com um touro há 30 anos para experimentar. Logo chegaram duas fêmeas e hoje são 40 animais. Minhas roçadeiras naturais, que ganham pouco e retornam muito”, conta Amantino.

De acordo com as informações divulgadas pela Embrapa, o Brasil detém o maior rebanho de búfalos das Américas, com 3 milhões de animais, porém, na Região Sul, a pecuária sempre privilegiou animais de raças europeias na produção de carne ou leite, com pouca presença de bubalinos nos campos.

Criação de búfalos

Na Fazenda São João, os búfalos fazem parte do sistema, buscando o melhor aproveitamento das pastagens em campo nativo. No primeiro pastejo, entram as vacas de elite, com produção diária próximo a 30 litros; após, pastejam as vacas em final de lactação; e, por último, o campo recebe os búfalos que limpam tudo o que sobrou. “Os búfalos podem consumir plantas mais duras e fibrosas, além de eliminarem as plantas daninhas uniformizando a pastagem nativa”, conta Amantino, que afirma nunca ter utilizado dessecante na área.

A rusticidade dos animais – menos suscetíveis a doenças, com couro espesso e mais adaptados a ambientes hostis – garante custo de produção 20% menor quando comparado aos bovinos. A conversão em ganho de peso também é maior do que os bovinos: na Fazenda São João os búfalos estão prontos para o abate aos 18 meses de idade, com 450 quilos.

De acordo com o pesquisador da Embrapa Trigo, Renato Fontaneli, o búfalo pode ser uma boa alternativa de criação nos sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta da Região Sul: “O búfalo pode ser alternativa para o melhor aproveitamento das pastagens de inverno, por exemplo, quando o produtor não quer investir muito na pecuária, privilegiando a produção de grãos ou o componente florestal na propriedade”.

Alimentos mais saudáveis

De acordo com a Associação Brasileira de Criadores de Búfalos, o verdadeiro queijo ‘mozzarella’, com origem na Itália, é produzido com leite de búfalas, por isso é mais branco, livre de carotenos. O leite de búfala também é mais saudável do que o leite bovino, com 59% mais cálcio, 47% mais fósforo e 30% menos colesterol. Contém, ainda, mais proteínas e maior teor de vitaminas A, D e B2 (riboflavina). A carne de búfalo tem aparência similar à carne bovina, porém é mais magra, com 12 vezes menos gordura, que se traduz em 40% menos colesterol e 55% menos calorias.