Home » Cadeia do Leite » Mesmo com exportações de lácteos a caminho do recorde, UE ressalta potencial de crescimento

Mesmo com exportações de lácteos a caminho do recorde, UE ressalta potencial de crescimento

04/10/2017 09:51:16 - Por: Foodingredientsfirst traduzidas pela Equipe MilkPoint.

Hoje, as exportações europeias de produtos lácteos estão no bom caminho para alcançar recordes, mas ainda há um grande potencial de crescimento.

Responsive image
A Comissária da União Europeia para Comércio, Cecilia Malmström, uniu-se à Plataforma de Lácteos da Associação Europeia de Lácteos (EDA) para discutir as perspectivas comerciais globais do setor de lácteos da UE. A EDA representa os interesses dos processadores de lácteos e a associação é composta por produtores de leite dos estados membros. 

"Cecilia criou um novo impulso no panorama comercial global e a liderança da UE nas políticas comerciais globais foi destacada pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, no discurso ‘Estado da União’ há duas semanas", disse o presidente da EDA, Michel Nalet.

Ao mesmo tempo, Nalet acredita que as "missões diplomáticas" do Comissário da UE, Phil Hogan, também ajudaram a impulsionar as exportações. Hoje, as exportações europeias de produtos lácteos estão no bom caminho para alcançar recordes, mas ainda há um grande potencial de crescimento, acrescenta ele. 

"Depois do Canadá, o acordo comercial do Japão está basicamente fechado - ambos os destinos abrem verdadeiras oportunidades de mercado para nossos produtos lácteos premium. Estamos ansiosos para ver Cingapura e Vietnã fazendo o mesmo. O progresso alcançado com o Mercosul e com o México é impressionante e também contamos com uma atualização construtiva do acordo com o Chile e rápidos progressos com a Indonésia, Filipinas, Malásia e Tailândia”.

Por outro lado, Nalet acredita que, quando se trata de negociações comerciais com a Nova Zelândia, todos devem ter certeza de que o que Bruxelas tende a chamar de ‘sensibilidades agrícolas da EU’ seja realmente levado em consideração pelas negociações. "Para deixar bem claro: não temos medo de competir com produtos lácteos da Nova Zelândia, mas precisamos de condições equitativas, especialmente nos mercados da China e do Sudeste Asiático, onde a Nova Zelândia já concluiu acordos de livre comércio. Nossas políticas comerciais devem garantir condições equitativas para as empresas do bloco”. 





hacklink child porno hacklink medyum beylikdüzü escort chip satışı zynga chip zynga chip chip satışı istanbul evden eve nakliyat sancaktepe evden eve nakliyat mersin escort astropay astropay bozum astropay bozdurma paykasa sisli escort bayan