Home » Cadeia do Leite » CBL Alimentos obtém R$ 27,7 mi para expansão

CBL Alimentos obtém R$ 27,7 mi para expansão

05/12/2017 09:50:44 - Por: Diário do Nordeste

Investimento inclui aquisição de máquinas e adequação das plantas industriais de Morada Nova (CE) e Pedras (PE).

Responsive image
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a concessão de financiamento de R$ 27,7 milhões à CBL Alimentos, dona das marcas Betânia, Jaguaribe e Lebom, para modernização das linhas de produção de leite e produtos lácteos das unidades localizadas em Morada Nova, no interior do Ceará, e em Pedra, no interior de Pernambuco. A operação inclui ampliação da capacidade de produção e capital de giro associado ao projeto.

Conforme o Diário do Nordeste informou no último dia 18 de agosto, a CBL Alimentos está duplicando a fábrica da empresa em Morada Nova, como parte de um plano de negócios avaliado em R$ 100 milhões em cinco anos, que seguiu a venda de 20% da empresa ao fundo de investimento estadunidense Arlon Latin America. Dentre as ações, já está em andamento a ampliação da fábrica de iogurtes no interior do Estado.

Segundo o executivo responsável pela operação do BNDES, o gerente Alexandre Cruz, os recursos do banco representam 76% do total (R$ 36,6 milhões) a ser investido no projeto pela empresa, com conclusão prevista para setembro do ano que vem, e que contempla a aquisição de máquinas e equipamentos, além da adequação das duas plantas industriais. Ser ASSINE > Diário do Nordeste ão ampliadas as linhas de leite longa vida, as de iogurtes e outros fermentados, requeijão, manteigas e queijos.

Ainda de acordo com o banco, os investimentos desse projeto deverão gerar 386 empregos diretos, ampliando os quadros da empresa para 1.844 funcionários, além de outros 1.930 postos de trabalho indiretos, elevando o total de trabalhadores empregados indiretamente para 9.220 nas duas unidades.

Impacto local

De acordo com o chefe do Departamento de Agroindústria do banco, Marcos Rossi, a operação tem um importante efeito para o mercado local, de baixo índice de desenvolvimento humano (IDH). "(O investimento) aumenta as possibilidades de captar leite de um conjunto maior de produtores na região, contribuindo para a renda de toda a cadeia de laticínios", explica.

Segundo informações do BNDES, em 2016, o volume de nanciamentos do banco ao setor chegou a R$ 1,245 bilhão, incluindo não só a produção de leite no campo (principal segmento apoiado pela instituição), mas também seu processamento (leite UHT/pasteurizado e outros produtos, como manteigas, queijos e iogurtes) e distribuição aos pontos de venda.

De janeiro a outubro deste ano, o apoio do Banco ao setor leiteiro está em R$ 1,033 bilhão. Rossi aponta ainda que, no segmento da Agroindústria, o BNDES também já nanciou, no primeiro semestre, cerca de R$ 34 milhões para giro de capital da Itaueira. "Sem contar outras diversas operações que são realizadas com empresas de menor porte", aponta o executivo.