Home » Cadeia do Leite » Pesquisa aponta que o consumo de iogurte pode reduzir a inflamação nas mulheres

Pesquisa aponta que o consumo de iogurte pode reduzir a inflamação nas mulheres

22/12/2017 10:04:19 - Por: Dairy Reporter, traduzidas pela Equipe MilkPoint. Foto: Pixabay

Consumir iogurte regularmente pode ajudar a reduzir a inflamação crônica em mulheres e apoiar um sistema digestivo saudável.

Responsive image
Um estudo de pesquisadores da Universidade de Wisconsin - Madison College of Agricultural and Life Sciences disse que consumir iogurte regularmente pode ajudar a reduzir a inflamação crônica em mulheres e apoiar um sistema digestivo saudável. A pesquisa, publicada no British Journal of Nutrition, mostrou que consumir 12 onças (324g) de iogurte com baixo teor de gordura por dia reduziu vários biomarcadores de inflamação nas mulheres na pré-menopausa – tanto nas com peso normal, quanto nas obesas. 

Um dos pesquisadores, Bradley Bolling, PhD, professor assistente do Departamento de Ciência dos Alimentos da Universidade de Wisconsin-Madison, disse que, embora os lácteos tenham sido percebidos por alguns consumidores como produtos que contribuem para a inflamação, a nova pesquisa sugere o contrário. "Descobrimos que as mulheres foram capazes de reduzir os biomarcadores associados à inflamação crônica, possivelmente devido à melhora da saúde digestiva, simplesmente comendo 1,5 porções de iogurte com baixo teor de gordura por dia", disse Bolling.

Risco reduzido de diabetes tipo 2

O estudo é o primeiro ensaio clínico randomizado e controlado para fornecer dados que indicam especificamente que o consumo regular de iogurte com baixo teor de gordura reduz os biomarcadores (ou seja, uma presença mensurável) de inflamação nas mulheres.

Isso é significativo porque a inflamação crônica pode contribuir para condições metabólicas e uma série de doenças relacionadas, como obesidade, diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares, importantes problemas de saúde pública.

Os pesquisadores disseram que os resultados são consistentes com um conjunto de pesquisas observacionais que mostram que os produtos lácteos, independentemente do nível de gordura, estão associados a um risco reduzido de doença cardiovascular e diabetes tipo 2.

O estudo de nove semanas observou 120 mulheres (60 obesas, 60 não obesas), entre 21 e 55 anos, que foram distribuídas aleatoriamente para consumir 339 g de iogurte com baixo teor de gordura (cerca de 12 onças) ou 324g de pudim não lácteo. Não houve restrições calóricas e as pessoas foram instruídas a seguir sua dieta regular e limitar o consumo de alimentos fermentados e probióticos durante o estudo. O estudo foi financiado pelo National Dairy Council (NDC).