Home » Cadeia do Leite » Importações lácteas caem 32% em 2017

Importações lácteas caem 32% em 2017

09/01/2018 09:33:11 - Por: Milkpoint

O fechamento dos números da balança comercial láctea confirma queda no volume, em equivalente leite, importado pelo Brasil em 2017.

Responsive image
O fechamento dos números da balança comercial láctea confirma queda no volume, em equivalente leite, importado pelo Brasil em 2017. Foram cerca de 1,28 bilhão de litros importados, volume 32% menor que em 2016. Somente analisando o mês de dezembro, o Brasil importou 76,8 milhões de litros de equivalente leite, volume estável em relação a novembro, mas 47,5% menor que no mesmo mês de 2016. 

Segundo estimativas da equipe do MilkPoint Mercado, o volume importado em 2017 representou cerca de 5,3% da produção total formal de leite no país. Trata-se de um considerável recuo depois do pico de volume de importações em 2016 (quando foram importados 1,9 bilhão de litros, cerca de 8,2% da produção formal daquele ano – observe, no gráfico 1, a evolução das importações em equivalente leite e sua participação % sobre a produção formal).

Gráfico 1. Importação anual de leite no Brasil e % do volume importado sobre a produção formal. Fonte: Elaborado pelo MilkPoint a partir dos dados da AliceWeb e do IBGE (2017 estimativa).


Desta forma, o crescimento da produção brasileira em 2017, associado ao enfraquecimento do consumo e à queda nos preços internos, foram determinantes para a queda no volume importado. Entretanto, vale destacar o aumento do preço em US$/litro do produto importado. Em 2017, o preço médio do litro de equivalente leite foi de US$ 0,44, 26% maior do que US$ 0,35 em 2016. Sendo assim, mesmo com queda de 32,3% no volume importado, o Brasil gastou “apenas” 14,7% a menos em 2017 (US$ 561,9 milhões) do que em 2016 (US$ 658,4 milhões) na importação de lácteos. No gráfico 2, mostramos a evolução do valor em US$/litro do produto importado. 

Gráfico 2. Gastos nas importações lácteas em US$/Litro. Fonte: Elaborado pelo MilkPoint a partir dos dados da AliceWeb.


Quando à origem do leite importado, a Argentina retomou a liderança entre os maiores fornecedores brasileiros, respondendo por 51% do volume comprado pelo Brasil, aumento de 7,2 pontos percentuais em relação a 2016. Enquanto isso, o Uruguai tomou o caminho oposto, e diminuiu sua participação em 8,8 pontos percentuais em 2017, tendo sido responsável, em 2017, por 36,8% do volume de compras lácteas brasileiras (observe o gráfico 3). 

Gráfico 3. Participação nas origens dos lácteos importados pelo Brasil. Fonte: Elaborado pelo MilkPoint a partir dos dados da AliceWeb.


Nas exportações, em 2017 o Brasil retornou a níveis que não ocorriam desde 2011, com 38,6 mil toneladas foram exportadas, o segundo menor volume desde 2001. Na comparação anual, a queda de 31,2% é a mais acentuada desde 2011. Mesmo assim, o saldo da balança comercial de lácteos voltou a retrair-se em 2017, voltando aos níveis de 2010 e 2011, graças às fortes quedas nas importações, como mostra o gráfico 4. 

Gráfico 4. Saldo da balança comercial de lácteos no Brasil. Fonte: Elaborado pelo MilkPoint a partir dos dados da AliceWeb.


Na tabela abaixo, é possível acompanhar de forma detalhada a balança comercial dos principais produtos lácteos do Brasil no último mês. 

Tabela 1. Exportações e importações por categoria de produto. Fonte: Elaborado pelo MilkPoint Mercado a partir dos dados da AliceWeb.