Home » Cadeia do Leite » Ramo pecuário de Minas registrou queda de 1,78%

Ramo pecuário de Minas registrou queda de 1,78%

29/01/2018 09:40:09 - Por: Diário do Comércio. Foto: Jacó Sobreira/Embrapa

Com uma produção 4,92% maior e preços 3,2% menores, o faturamento da atividade leiteira retraiu 1,56% entre janeiro e setembro de 2017.

Responsive image
O ramo pecuário apresentou baixa de 1,78% no resultado acumulado entre janeiro e setembro de 2017, frente a igual período de 2016. Somente em setembro, a queda registrada foi de 0,9%. Com a retração, o PIB da pecuária para 2017 foi estimado em R$ 89,73 bilhões. A queda está atrelada à redução de preços em importantes produtos, como bovinos, vacas e frangos.

No acumulado do ano até setembro, entre os segmentos desse ramo, houve crescimento apenas no da indústria, 0,86%. Já em insumos houve retração de 2,4%, queda de 2,39% no segmento primário, e de 1,3% em serviços.

O desempenho negativo do segmento primário da pecuária é resultado da queda do preço médio das atividades, que apresentou retração de 5,37% na comparação entre os nove primeiros meses de 2017 com relação ao mesmo período de 2016. Já para a produção, estima-se elevação média de 2,4% para o ano.

Entre janeiro e setembro de 2017, a produção de bovinos ficou praticamente estável, com pequena queda de 0,28%. O preço médio recuou 8,18%, fazendo com que o faturamento da atividade ficasse 8,43% inferior no período. Já a produção de vacas ficou 1,6% maior, mas os preços caíram 7,43%. O resultado foi um faturamento 5,89% menor.

O faturamento de frango retraiu 11,12% no período. A queda se deve à retração de 12,97% verificada nos preços, uma vez que a produção ficou 2,12% maior.

Dentre os faturamentos positivos, destaque para a produção de ovos. Com uma produção 5,99% maior e preços 5,92% superiores, a receita da atividade cresceu 12,26%. Em suínos, a alta foi de 1,66% na produção, de 7,04% nos preços e de 8,82% no faturamento. Com uma produção 4,92% maior e preços 3,2% menores, o faturamento da atividade leiteira, em Minas Gerais, retraiu 1,56% entre janeiro e setembro de 2017.