Home » Cadeia do Leite » Leite: sistema faz vaca produzir 10 litros a mais por dia

Leite: sistema faz vaca produzir 10 litros a mais por dia

14/02/2018 10:36:57 - Por: Canal Rural

Ao utilizar o compost barn, pecuarista do Triângulo Mineiro consegue picos de 35 litros por animal diariamente. Média anterior era de 25 litros.

Responsive image
O sistema de compost barn é uma alternativa de instalação para vacas leiteiras que consiste em um galpão coberto, no qual as vacas permanecem durante todo o tempo, separadas em lotes por fios elétricos. Os pesquisadores da Embrapa Gado de Leite Alessandro de Sá Guimarães e Letícia Mendonça explicam que a cama do galpão geralmente é composta de maravalha, serragem e palhas de café e arroz.

O galpão recebe ventilação artificial por meio de ventiladores instalados na estrutura. Quando as vacas seguem em direção à ordenha, a cama é revirada por meio de um subsolador ou enxada rotativa acoplada a um trator.

No Brasil desde 2011, a tecnologia é reconhecida pelos produtores de leite como uma boa alternativa para a redução do estresse térmico e uma oportunidade para a exploração de novas atividades na propriedade em função da disponibilidade da área, que antes era destinada ao pastejo.

"A oportunidade de negócio também pode acontecer com a otimização da mão de obra e com o uso do composto nas lavouras da propriedade. As fezes e a urina são depositadas na cama, e o passivo ambiental da atividade leiteira para os rebanhos confinados é reduzido. O compost barn permite padronização da dieta durante todo o ano, de forma a estabilizar a produção nos períodos de seca e de chuva, com reflexo na produtividade, pois permite ao rebanho expressar o potencial genético para a produção de leite", afirma a pesquisadora Letícia Mendonça.

Na fazenda Lujuma, em Santa Juliana (MG), foram instalados dois galpões que têm a capacidade para receber 110 animais. O primeiro em 2013 e outro em 2015. Ao todo, 76 vacas em lactação e na fase de pré-parto estão alojadas na estrutura do compost barn.

"As áreas em que antes o rebanho pastava atualmente são destinadas à recria, às vacas secas e ao gado de corte. A gente pode instalar o bezerreiro argentino e dar mais condições de bem-estar para as bezerras, que serão as futuras produtoras de leite", conta o produtor Luiz Henrique Silva, associado da Cooperativa dos Produtores Rurais do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Cotrial).

Em pesquisa realizada pela Embrapa Gado de Leite foi concluído que as vacas alojadas no sistema e o bioclima do compost barn no período avaliado apresentaram mais conforto térmico.

"Os fatores mais importantes no compost barn são a ventilação artificial e o manejo da cama com objetivos de mantê-la seca, oferecendo bem-estar e saúde aos animais. São pontos essenciais para serem observados no reflexo direto deles na produtividade, na manifestação do cio, no índice de concepção, na redução de afecções de caso, entre outros itens", diz o pesquisador Alessandro de Sá Guimarães.

Gastos e produtividade

A estrutura do compost barn contempla uma área para entrada e saída das vacas, corredores de serviço, bebedouros, linha de cocho e ventilação. Na propriedade em Santa Juliana, a dieta fornecida ao rebanho alojado no galpão é feita por meio de um vagão forrageiro que tem silagem e grão úmido de milho, farelo de soja, polpa cítrica e mineral. A nutrição dos lotes é adequada à dieta de cada fase do animal (lactação e pré-parto).

Entre os gastos, normalmente apontados pelos produtores, está a energia para a manutenção dos ventiladores e dos dois galpões. Na propriedade, esse item corresponde a 5% dos custos da fazenda.

"O aumento do volume de leite após a implantação do compost barn compensa o gasto com energia. Chegamos a registrar um pico de 35 litros/vaca/dia e antes a média era de 25 litros/vaca/dia", contabiliza o produtor, que conheceu a tecnologia após a leitura de um artigo sobre o tema na internet. Na ocasião, ele visitou uma propriedade no estado de São Paulo, umas das pioneiras do país nessa técnica. O Brasil tem cerca de 1.000 unidades utilizando o sistema.

A produção diária de leite da Fazenda Lujuma é de 2.600 litros, com 76 vacas em lactação e seis no pré-parto. Cinco funcionários trabalham na propriedade e na opinião dos colaboradores houve a otimização de todos os processos da fazenda após a implantação do sistema.

De acordo com os pesquisadores da Embrapa Gado de Leite, em estudo realizado com produtores de 42 sistemas de compost barn nos EUA, foram identificados benefícios, tais como melhora do conforto animal em 24,1% das propriedades, melhora do escore de higiene das vacas em 12,1% das fazendas, melhora da condição de cascos e pernas de 6,9%, redução na CCS e aumento da detecção de cio em 5,2% das propriedades.

Triângulo Mineiro

A Fazenda Lujuma está localizada no Triângulo Mineiro, região que se destaca pela grande adesão às novas tecnologias no agronegócio leiteiro. A CCPR Leite | Itambé acompanha cerca de 65 produtores da região que já implantaram ou que realizam obras de instalação do compost barn.

Entre os associados assistidos houve a melhoria dos índices de qualidade e aumento da produção nas propriedades localizadas em 22 municípios de abrangência de captação.