Home » Cadeia do Leite » Valorização do UHT sinaliza retomada de preços no campo

Valorização do UHT sinaliza retomada de preços no campo

20/02/2018 08:52:35 - Por: Natália Grigol, em Boletim do Leite do CEPEA - ESALQ/USP

A valorização de 3,7% do leite UHT na primeira quinzena de fevereiro trouxe certo alívio ao setor leiteiro, que amarga consecutivas quedas de preços no campo.

Responsive image
A valorização de 3,7% do leite UHT na primeira quinzena de fevereiro trouxe certo alívio ao setor leiteiro, que amarga consecutivas quedas de preços no campo. Em janeiro/18, o valor do leite pago ao produtor caiu 1,74% em relação ao mês anterior e registrou o menor patamar real desde fevereiro/10, a R$ 0,9832/litro (“média Brasil”, sem frete e sem impostos, que tem como base BA, GO, MG, SP, PR, SC e RS). Diante disso, produtores se questionavam se esse era o piso de preço ou se a média cairia ainda mais. Assim, a recente recuperação no preço do UHT pode sinalizar uma alta no valor a ser pago no campo.

O leite UHT é o derivado mais consumido do Brasil e um dos pilares de formação de preços do leite no campo, servindo como um termômetro para o setor. No atacado do estado de São Paulo, o valor médio do UHT negociado saltou de R$ 1,96/litro em 1º de fevereiro para R$ 2,03/ litro no dia 15 de fevereiro, se aproximando do patamar verificado no início de dezembro/17. De acordo com pesquisas do Cepea realizadas com o suporte financeiro da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), essa alta dos preços do UHT vem sendo verificada desde a segunda quinzena de janeiro e está atrelada inicialmente, à tentativa das indústrias em recuperar a margem, que vem sendo espremida desde o ano passado. A manutenção da valorização do UHT na primeira quinzena de fevereiro, por sua vez, sinaliza um maior equilíbrio entre demanda e oferta.

Colaboradores consultados pelo Cepea ainda consideram o consumo enfraquecido, sobretudo por conta do período de férias e de carnaval. No entanto, o aumento das cotações tem sido absorvido pelo consumidor sem grande necessidade de promoções, que vinham sendo praticadas regularmente. Além disso, a amplitude entre os preços do UHT coletados pelo Cepea diminuiu, devido à alta mais intensa no valor mínimo (de 11,1%) frente ao máximo (que subiu 1,84%). Essa menor disparidade entre os valores pode indicar um reaquecimento da demanda, favorecida pela maior estabilidade econômica.

No campo, a oferta de leite também tem se regularizado. Ainda que, tipicamente, o verão seja um período de maior captação de leite por conta das chuvas, os baixos preços praticados nos últimos meses têm resultado em desaceleração da produção. O Índice de Captação de Leite do Cepea (ICAP-L) aumentou 0,2% de novembro/17 para dezembro/17 na “média Brasil e o levantamento do Cepea sobre o mercado em fevereiro, ainda em andamento, tem confirmado essa tendência de crescimento controlado da produção. O menor volume no campo deve refletir no processamento de lácteos, aliviando pressões de estoque do UHT e possivelmente mantendo a tendência de alta nos preços.