Home » Cadeia do Leite » Lactalis mira liderança da captação de leite

Lactalis mira liderança da captação de leite

02/03/2018 09:56:39 - Por: Diário do Comércio

Aquisição da Itambé é considerada estratégica pelo grupo francês para atingir objetivo o quanto antes.

Responsive image
Com expectativas positivas em relação à decisão da Justiça, que pode autorizar a francesa Lactalis a assumir a direção da Itambé, o CEO da Lactalis do Brasil, André Salles, ressalta que a empresa vem caminhando a passos largos para assumir a liderança da captação de leite no País. Para alcançar a primeira posição, a aquisição da Itambé é considerada fundamental. Quando assumir a empresa, o grupo Lactalis responderá por 8% da captação nacional de leite, que no Brasil gira em torno de 32 bilhões de litros anuais.

De acordo com Salles, várias ações estão em andamento e permitirão a expansão da Lactalis. Uma delas foi o investimento de R$ 70 milhões na unidade de Teutônia, no Rio Grande do Sul, onde serão produzidos leite UHT em garrafas pet e manteiga com receita francesa. Além disso, a Lactalis espera por uma resposta da Justiça para assumir a direção da Itambé. A empresa foi adquirida da Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais (CCPR) em dezembro de 2017, mas, devido a disputas judiciais por parte da Vigor, antiga proprietária de 50% da Itambé, está impedida de ser gerenciada pelo novo dono.

“A gente vem caminhando no sentido de ser a maior empresa captadora de leite do País. O investimento de R$ 70 milhões em Teutônia constitui um importante fator. Hoje, precisamos solucionar a questão com a Itambé. A gente acredita que o investimento na Itambé é superestratégico, pela empresa apresentar grandes complementaridades com a Lactalis.

Enquanto somos muito fortes no Sul, a Itambé tem uma posição avantajada em Minas Gerais, nos demais estados do Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste. Acredito que uma nova empresa que surja da fusão da Itambé com a Lactalis vai ser extremamente salutar e positiva para o mercado lácteo brasileiro, para os clientes e consumidores”, destacou Salles. Além de estender a atuação geográfica, com a compra da Itambé o portfólio de produtos será ampliado. “A Itambé tem um forte posicionamento na produção e mercado do leite em pó, que nós, da Lactalis, não temos. Será um grande desenvolvimento”, completou.

Salles explica que a Lactalis está esperando a decisão judicial para resolver sobre futuros investimentos na Itambé. As expectativas são positivas, principalmente depois da junção ter sido aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

“Nós fizemos nossa oferta e a concorrência vem questionando judicialmente a aquisição da Itambé. Nós temos advogados nos representando e aguardamos que a decisão seja sábia e, obviamente, favorável para nosso lado. O impasse vem desde o início de dezembro. Já são três meses e a gente aguarda o desfecho da decisão da Câmara Arbitral e da segunda instância em São Paulo”.

Desafios - Questionado sobre os problemas já identificados na Itambé, como a dificuldade de acesso a crédito e o esvaziamento dos cofres, o que tem causado receio aos produtores de leite de Minas Gerais e ao mercado, Salles considera fundamental que a decisão da Justiça seja rápida.

“Não sou responsável pela gestão Itambé, mas me coloco nos sapatos dos gestores e produtores e compartilho a mesma preocupação. Pelo lado da Lactalis, a gente quer que o processo seja concluído o mais rápido possível. Preocupa a nós a situação da empresa e dos produtores. Queremos ter um negócio que construa valor e que seja positivo para todos os envolvidos na cadeia de valor e suprimentos”, explicou Salles.

Ainda de acordo com o CEO da Lactalis Brasil, com a concretização da compra da Itambé, os parceiros e produtores podem esperar por um fortalecimento da parceria, que será de longo prazo.

“A Lactalis é uma indústria que investe no desenvolvimento do produtor, que tem grande preocupação de que os pecuaristas tenham custos adequados, sejam competitivos e tenham produtividade alta, assegurando maiores ganhos”.