Home » Cadeia do Leite » Demanda por farelo de soja se sobrepõe à oferta e preços sobem em fevereiro

Demanda por farelo de soja se sobrepõe à oferta e preços sobem em fevereiro

21/03/2018 11:16:38 - Por: Débora Kelen Pereira da Silva em Boletim do Leite do CEPEA-ESALQ/USP

Além da firme demanda externa, a procura doméstica por farelo de soja também se aqueceu em fevereiro, devido aos estoques reduzidos de suinocultores e avicultores.

Responsive image
Diante da baixa disponibilidade de soja em grão no Brasil e do menor processamento da oleaginosa na Argentina, a demanda por farelo de soja se sobrepôs à oferta em fevereiro. Com isso, os valores desse derivado subiram com força nos Estados Unidos e no Brasil, principais concorrentes da Argentina nas exportações do produto. Além da firme demanda externa, a procura doméstica por farelo de soja também se aqueceu em fevereiro, devido aos estoques reduzidos de suinocultores e avicultores.

Em fevereiro, o Brasil embarcou 1,35 milhão de toneladas de farelo de soja, volume 20,1% maior que o exportado em janeiro e 90,5% superior ao de fevereiro de 2017, segundo a Secex. Considerando-se o dólar a R$ 3,243 em fevereiro, o preço médio da tonelada de farelo de soja para exportação foi de R$ 1.152,57, 2,5% acima do recebido em janeiro e 9,9% superior ao do mesmo período do ano passado.

Além da firme demanda, o excesso de umidade no Centro-Oeste e Sudeste do Brasil também preocupou agentes de mercado quanto à qualidade da matéria-prima, que pode reduzir o teor de proteína do farelo. Apesar da forte elevação dos preços da oleaginosa, a margem de lucro das indústrias segue crescente, devido ao alto repasse para os valores do farelo.

Entre janeiro e fevereiro, os preços do derivado subiram expressivos 9,1%, na média das regiões acompanhadas pelo Cepea. Na CME Group (Bolsa de Chicago), o primeiro vencimento (Mar/18) do farelo de soja registrou alta de significativos 10,5%, com média mensal de US$ 360,51/tonelada curta (US$ 397,39/t).