Home » Cadeia do Leite » Laticínio mineiro aposta na cultura regional e lança queijo curtido na cachaça

Laticínio mineiro aposta na cultura regional e lança queijo curtido na cachaça

29/03/2018 08:57:30 - Por: Assessoria de Imprensa da Paladar de Minas

Batizado de Queijo Calambau, o produto é uma das novidades da Paladar de Minas para se posicionar no mercado com produtos de alto valor agregado.

Responsive image
O município mineiro de Presidente Bernardes já é conhecido dos brasileiros como a cidade da cachaça. Mas de uns anos pra cá, cresceu também o número de indústrias laticinistas na região. Um dos destaques é o Laticínio Paladar de Minas, que levou o prêmio de 2º Melhor Queijo do Brasil na Expolac 2017, promovida pelo Instituto de Laticínios Cândido Tostes. O motivo do agraciamento é uma inovação que se inspirou na história da cidade: um delicioso queijo curtido na cachaça.

Batizado de Queijo Calambau, em homenagem ao antigo nome do município, o produto é uma das novidades da Paladar de Minas para se posicionar no mercado com produtos de alto valor agregado. Além do premiado Queijo Calambau, a Paladar de Minas também se sagrou dona do Melhor Requeijão do Brasil, na Expolac de 2015, tendo permanecido entre os 5 primeiros lugares no ano seguinte.

Uma receita resgatadas da história

Os antigos moradores de Presidente Bernardes gostam de colecionar histórias de quando a principal atividade econômica da cidade era a produção da cachaça. O início da atividade dos alambiques remonta de 1800 e a consagração da cidade como polo produtor aconteceu com a ajuda dos tropeiros, que distribuíam os derivados da cana em cidades como Ouro Preto e Mariana. Segundo o pesquisador Murilo Vidigal Carneiro, “em 1831, de acordo com a documentação que nós temos e que foi tirada no arquivo público mineiro, existia aqui 25 engenhos que produziam os derivados da cana: rapadura, açúcar mascavo e a cachaça”.

Os moradores mais antigos da cidade tiveram, nas fazendas, muito contato com os antigos tropeiros. Passada de boca a boca, a história do primeiro queijo curtido na cachaça é um tanto inusitada. Conta-se que um tropeiro levava dois queijos de presente junto com as cachaça em sua bolsa de couro. No meio do caminho, a cachaça vazou embebendo e curtindo os queijos por alguns dias. Ao chegar no destino final, o tropeiro encontrou a surpresa em sua bagagem:  um queijo de sabor cítrico e suave e aroma muito agradável. Todos que provaram, aprovaram a receita inventada por um acaso do destino.


Dos registros diretamente para a fábrica

Resgatando essas histórias, o empresário Geraldo Maciel, proprietário da Paladar de Minas criou a sua receita do queijo curtido na cachaça. O queijo é feito seguindo os processos tradicionais de produção, com leite ordenhado na região e pasteurizado no laticínio. Durante a fase de cura, a cachaça é introduzida à receita garantindo um sabor diferenciado e incomparável.

O lançamento do produto acontecerá neste mês de março e a empresa inovará também na forma de distribuição. Além da venda para redes de supermercado e distribuidoras, como já é feito com toda a linha da Paladar de Minas, o laticínio fará a venda direta para o consumidor final através do site https://www.calambau.paladardeminas.com.br/.

Assim, consumidores de todo o Brasil, entusiastas da cachaça e da boa culinária, poderão encomendar os produtos diretamente com da fábrica. A ação visa atender também restaurantes e lojas de produtos gourmet que hoje estão fora da rede de distribuição da empresa. É uma forma de testar o mercado e alcançar o consumidor de nicho, que está espalhado por todo o território nacional.