Home » Cadeia do Leite » Valor Bruto da Produção Agropecuária de Minas deve recuar 0,9% em 2018, aponta o Mapa

Valor Bruto da Produção Agropecuária de Minas deve recuar 0,9% em 2018, aponta o Mapa

18/04/2018 11:37:35 - Por: Diário do Comércio. Foto: Kéke Barcelos/Embrapa

Preços mais baixos de produtos como o leite podem interferir no resultado anual do Estado.

Responsive image
O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de Minas Gerais para 2018, com base nos dados de abril, foi estimado em R$ 54,7 bilhões, 0,9% de queda em relação a 2017, quando o montante chegou a R$ 55,3 bilhões. Os produtos pecuários, com recuo de 5,3% no VBP e com participação de 35,8% do VBP do agronegócio no Estado, puxaram a redução. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Para a atividade pecuarista no Estado, o Mapa projeta queda no VBP deste ano. A estimativa é de que ele deve atingir R$ 19,6 bilhões sobre R$ 20,7 bilhões em 2017, recuo de 5,3%. A coordenadora da Assessoria Técnica da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais (Faemg), Aline de Freitas Veloso, confirmou que a retração no segmento se deve aos preços mais baixos de produtos como leite, frango e suínos, principalmente.

De acordo com dados do Mapa, a produção de leite, que responde por 35,9% do VBP da pecuária estadual, deve gerar R$ 7 bilhões em 2018, 11,9% de queda frente a 2017 (R$ 7,9 bilhões). A produção de frango e de suínos, que juntas representam 25,5% do VBP total do segmento, devem registrar retrações de 9,1% e 12,4%, respectivamente. “Com os preços mais baixos, sem capacidade de remunerar os produtores, especialmente no caso do leite, eles redimensionam a produção. Então, quando temos preços mais baixos, por consequência, a produção também é menor”, afirmou a coordenadora da Faemg.

No que se refere à avicultura, Aline Veloso explicou que os preços mais baixos e o embargo feito pelo Mapa às exportações fazem com que agroindústrias integradoras (que já têm contrato com os produtores) redirecionem a produção para o mercado interno em detrimento das exportações. “E quanto maior a oferta, mais o preço tende a cair. Lá na ponta, isso beneficia o consumidor, mas compromete a cadeia produtiva”, pontuou.

Por outro lado, ainda dentro da pecuária, o VBP dos bovinos, que abocanha 32% da fatia do VBP total do segmento em Minas, deve alcançar o total de R$ 6,2 bilhões em 2018 contra R$6 bilhões em 2017, um crescimento de 3,9%, com base nas informações do Mapa.

Agricultura - Para as lavouras mineiras, ao contrário da pecuária, o Mapa projeta um VBP de R$ 35,1 bilhões neste ano, contra R$ 34,5 bilhões em 2017, com um crescimento de 1,7%. A agricultura vai gerar, de acordo com o ministério, 64,2% do VBP da produção agropecuária em Minas previsto para este ano.

O café, principal produto do agronegócio mineiro, puxou o aumento, com estimativa de que o VBP da cultura chegará a R$ 12,9 bilhões em 2018, uma evolução de 8,5% frente aos R$ 11,9 bilhões registrados no ano passado. O grão deve colaborar com 36,7% do VBP total de produtos agrícolas no Estado, neste exercício.

A coordenadora da Assessoria Técnica da Faemg lembrou que o café atravessa o período de bienalidade positiva em 2018, com previsão de crescimento da safra. “Este é um ponto positivo, e já devemos começar a colher a safra atual no final deste mês em algumas regiões e seguimos com a colheita de maio até setembro”, disse.

O crescimento do VBP da agricultura estadual também se deve à alta da geração de valor de produtos importantes para o agronegócio mineiro. Um deles é a soja, cujo VBP previsto para 2018 é de R$ 5,3 bilhões, contra R$ 5,2 bilhões em 2017, aumento de 1,9%.

O VBP do milho também deve subir. O faturamento gerado a partir da cultura do cereal foi estimado em R$ 3,6 bilhões para 2018, contra R$ 3,5 bilhões em 2017, crescimento de 3,7%. Na mesma comparação, o VBP do tomate e da batata-inglesa devem apurar avanços de 43,9% e 6,1%, respectivamente.

O produto agrícola que mais impactou negativamente para o VBP do segmento foi a cana-de-açúcar, com o indicador estimado em R$ 5,9 bilhões para este ano, 11,3% de queda frente aos R$ 6,7 bilhões de 2017, com base nos dados do Mapa. Mesmo assim, a cana-de-açúcar só perde para o café em participação, com fatia de 16,8% no VBP total da agricultura mineira em 2018.