Home » Cadeia do Leite » Menor oferta na Argentina e demanda elevada mantêm preços elevados do farelo de soja

Menor oferta na Argentina e demanda elevada mantêm preços elevados do farelo de soja

19/04/2018 09:36:01 - Por: Raphaela Spolidoro, em Boletim do Leite Cepea

Na primeira quinzena de abril, o prêmio de exportação e os preços domésticos foram impulsionados pela maior demanda, tanto interna quanto externa.

Responsive image
Na primeira quinzena de abril, o prêmio de exportação e os preços domésticos de farelo de soja foram impulsionados pela maior demanda, tanto interna quanto externa. O cenário altista se deve também às expectativas de menor oferta na Argentina, principal exportador mundial de farelo de soja e o terceiro maior produtor mundial do grão.

Com menor oferta interna, a Argentina terá, inclusive, que importar soja em grão para processamento e cumprimento dos contratos de farelo e óleo já efetivados. O USDA estima que a Argentina deve processar 41,2 milhões de toneladas da oleaginosa nesta temporada, redução de 4,8% sobre a anterior, resultando em apenas 31,6 milhões de toneladas de farelo. Se confirmada, será a menor produção das últimas três safras.

Com isso, as indústrias brasileiras têm expectativa de ganhar espaço nas comercializações internacionais do derivado. Nesse cenário, o prêmio de exportação do farelo de soja em Paranaguá (PR), para embarque em maio/18, teve vendedor a US$ 14/tonelada curta no dia 13 de abril, maior que os -US$ 3/tonelada curta ofertados no último dia útil de março. Isso resultou em alta de 5,8% nos preços do farelo de soja no mercado brasileiro, considerando-se a média das regiões acompanhadas pelo Cepea.