Home » Cadeia do Leite » Apesar de fraca demanda, preços do milho seguem em alta

Apesar de fraca demanda, preços do milho seguem em alta

19/04/2018 09:46:24 - Por: Carolina Camargo Nogueira Sales, em Boletim do Leite Cepea

Nas principais regiões brasileiras, o clima está favorável para a colheita da temporada de verão e o semeio da segunda safra, que estão na fase final.

Responsive image
Os preços de milho continuam em elevação no mercado brasileiro em boa parte das regiões acompanhadas pelo Cepea. Na primeira quinzena de abril, produtores seguiram cautelosos, devido às preocupações quanto à oferta de milho nos próximos meses. Compradores, por sua vez, negociam apenas lotes pontuais, para se abastecer no curto prazo.

Assim, na média das regiões acompanhadas pelo Cepea, os valores subiram 0,9% no mercado de balcão (preço pago ao produtor) e 1,8% no de lotes (negociações entre empresas) no acumulado da primeira quinzena de abril. Esse cenário é reflexo da baixa disponibilidade de milho em regiões consumidoras, como Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Por outro lado, especificamente na região de Campinas (SP), região de referência para o Indicador ESALQ/BM&FBovespa, o recuo foi de 1,1% na parcial do mês, fechando a R$ 39,92/sc da 60 kg no dia 13. A queda na primeira quinzena esteve atrelada à pressão da ponta compradora, que segue se limitando às aquisições de lotes pontuais. Em março, o Indicador teve média de R$ 41,37/sc de 60 kg, 19% maior que a de fevereiro.

Nas principais regiões brasileiras, o clima está favorável para a colheita da temporada de verão e o semeio da segunda safra, que estão na fase final. No Paraná, a área do cereal colhido somou 73% até 9 de abril, segundo dados do Seab/Deral. Para a segunda safra, com toda a área já semeada, as boas condições seguem em 99% das lavouras. A preocupação até meados de abril foi o clima seco em algumas regiões, visto que, caso esse cenário persista, a produtividade pode ser prejudicada.

No Rio Grande do Sul, após o atraso por conta do excesso de chuvas, a colheita foi intensificada, atingindo 85% da área até o dia 12, segundo a Emater/RS.