Home » Cadeia do Leite » Menor oferta da matéria-prima mantém preços dos derivados lácteos em alta

Menor oferta da matéria-prima mantém preços dos derivados lácteos em alta

19/04/2018 10:20:54 - Por: Lucas Ribeiro e Munira Nasrrallah, em Boletim do Leite Cepea

Destaque para o leite UHT e o leite cru negociado entre as indústrias.

Responsive image
Os preços da maioria dos derivados lácteos acompanhados pelo Cepea registraram novas altas em março, com destaque para o leite UHT e o leite cru negociado entre as indústrias (spot), com aumentos de 10,3% (média de R$ 2,26/litro) e de 8,7% (R$ 1,27/l), respectivamente, na média Brasil, em relação ao mês anterior. Segundo colaboradores do Cepea, a elevação está atrelada à redução da oferta de matéria-prima no campo. Os baixos preços pagos ao produtor nos últimos meses e as recentes valorizações de insumos utilizados na produção do leite desestimularam produtores.

Cepea com o apoio financeiro da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), no atacado de São Paulo (principal mercado consumidor), o avanço do preço médio do leite UHT entre fevereiro e março foi ainda maior, de 12,3%, atingindo R$ 2,30/litro. No entanto, em relação ao mesmo período do ano anterior, esse valor é 13,55% menor. O levantamento aponta que a alta deve continuar em abril, mas em ritmo menor, visto que a demanda pelo produto ainda está em recuperação.

O queijo muçarela também se valorizou no mesmo comparativo, mas em menor intensidade. Em março, o preço médio nacional do produto foi de R$ 14,98kg, 4,6% maior que o do mesmo período do ano anterior; frente a fevereiro de 2017, no entanto, ainda esteve 3,69% abaixo. Segundo o levantamento diário da muçarela no atacado de São Paulo, até a primeira quinzena de abril, o preço médio da muçarela está oscilando, e agentes encontram dificuldades em manter negociações a preços atrativos.