Home » Cadeia do Leite » AL: Fábrica de iogurte é interditada e tem produtos apreendidos em Arapiraca

AL: Fábrica de iogurte é interditada e tem produtos apreendidos em Arapiraca

17/05/2017 10:06:25 - Por: G1

Uma fábrica de iogurte foi interditada em Arapiraca, Agreste de Alagoas, durante uma ação da Fiscalização Preventiva Integrada do Rio São Francisco (FPI).

Responsive image Uma fábrica de iogurte foi interditada na manhã da última terça-feira (16) em Arapiraca, Agreste de Alagoas, durante uma ação da Fiscalização Preventiva Integrada do Rio São Francisco (FPI).

De acordo com o Ministério Público do Estado (MP-AL), além da interdição, cerca de três toneladas de produtos foram apreendidas. Equipes de fiscalização constataram no local falta de licença ambiental, de cuidados sanitários em procedimentos e de instalações regulares no estabelecimento.

A Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) e o Instituto de Meio Ambiente de Alagoas (IMA) registraram autos de infração da fábrica. Os representantes podem se defender dentro de um período de 30 dias. Caso não aconteça defesa, a fábrica pode ser multada pela Adeal e IMA.

Pela Adeal, a fábrica corre o risco de ser multada em R$ 50 mil. Já o IMA poderá multar o empreendimento por reincidência na falta de licença ambiental, em um valor de R$ 274.708,70, pelo lançamento de efluentes, em R$ 29.145, e por não apresentar a comprovação da madeira encontrada no local em R$ 2.328.

"Verificamos que eles [a fábrica] não fazem a pasteurização do produto, além de não possuir comprovação do procedimento. Por isso, resolvemos apreender o material para garantir a segurança da população", explicou o coordenador da equipe, que não teve a identidade divulgada.

A fábrica de iogurte foi notificada pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), por possuir uma caldeira. Representantes da empresa devem apresentar a inscrição do Cadastro Técnico Federal, que é obrigatório.

O Conselho Regional de Medicina Veterinária em Alagoas (CRMV) e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) notificaram a fábrica para apresentar a Anotação de Responsabilidade Técnica, pois a apresentada no local possuía o nome de um responsável técnico já falecido.