Home » Cadeia do Leite » RS: Pronaf beneficia vida de jovem produtor de queijo Serrano em Bom Jesus, destaca Sead

RS: Pronaf beneficia vida de jovem produtor de queijo Serrano em Bom Jesus, destaca Sead

23/05/2017 09:12:32 - Por: Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead)

Desde pequeno ele foi acostumado à lida do campo junto com seus pais. Aos 12 anos, Adler já sabia fazer o queijo artesanal.

Responsive image
É no município de Bom Jesus, localizado no nordeste do Rio Grande do Sul, nos chamados Campos de Cima da Serra, a 231 km de Porto Alegre, que o jovem produtor Adler Antônio Pinto Nunes, de 33 anos, vem investindo na agroindústria em sua própria queijaria. É lá que ele fabrica o tradicional queijo artesanal Serrano, produto que tem grande importância econômica, cultural e social na região.

Desde pequeno ele foi acostumado à lida do campo junto com seus pais. Aos 12 anos, Adler já sabia fazer o queijo artesanal. Agora com esposa e uma filha de 10 anos, ele resolveu comprar um terreno para pastagem do gado e tocar seu próprio negócio. Com recursos do Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), ele trocou a queijaria de madeira antiga por uma nova e mais completa, que estivesse dentro das normas exigidas e necessárias de estrutura e higiene. Desde então, produz e comercializa seu próprio queijo.

"A um tempo atrás, saí do campo pra ir atrás de emprego na cidade, em Caxias, porque não via futuro aqui. Mas isso não durou seis meses e eu voltei. Minha avozinha talvez nem estivesse mais aqui conosco se eu não tivesse voltado", conta ele. Adler conta ainda que o pai o ajudou com a aquisição do terreno e com o financiamento do governo: "Hoje estamos juntos e felizes, graças a Deus".

Investimento certeiro

Pensando no futuro da família e na garantia de emprego, renda e qualidade de vida, o jovem pecuarista decidiu seguir a tradição familiar investindo em estrutura. Foram R$ 150 mil aplicados na construção de um pavilhão, sala de ordenha e equipamentos para a construção da queijaria. E o retorno foi compensado.

"Vivemos apenas da produção do queijo. Investir na nova estrutura possibilitou retorno certo. Moramos na BR 285, que fica na entrada da cidade, e meus maiores clientes são os turistas. Ter tudo novo e organizado passa mais credibilidade para quem quer consumir o produto. No ano passado, na Feira da Gila e do Queijo Serrano, tradicional aqui na cidade, vendi mais de 300 quilos de queijo em apenas cinco dias", completa o jovem produtor.

Sobre o queijo

O queijo Serrano integra o projeto Arca do Gosto, que, por sua vez, faz parte do plano "Alimentos bons, limpos e justos", uma parceria da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário (Sead) com o movimento Slow Food, a Universidade Federal de Santa Catarina e uma rede de universidades. De acordo com pesquisa feita pelo Slow Food, o queijo Serrano é produzido com leite cru, logo após a ordenha. Tem massa semidura, baixa umidade, sabor e aroma acentuados e textura levemente amanteigada. Originalmente, eram produzidas peças grandes, com peso superior a 5 kg, curadas por períodos que variavam de 40 a 60 dias. Com o passar do tempo, passaram a ser produzidos queijos menores, variando também seu formato e tempo de maturação.

Atualmente, são encontrados tais queijos em forma retangular ou redonda, com peso de 1 a 2,5 kg e curados por 10 a 30 dias. Consta que o Serrano é um dos queijos artesanais mais antigos do Brasil. Hoje, o conhecimento para fabricá-lo vem sendo transmitido de geração a geração, sendo um dos principais produtos da agricultura familiar nas regiões produtoras.