Home » Cadeia do Leite » Centro de pesquisa em MG deve impulsionar mercado do queijo artesanal do Serro

Centro de pesquisa em MG deve impulsionar mercado do queijo artesanal do Serro

21/06/2017 08:40:57 - Por: Diário do Comércio

Objetivo é apoiar produtores de 11 municípios da região.

Responsive image
No que depender dos produtores do Queijo Artesanal do Serro, na região Central de Minas, em breve, uma de suas mais conhecidas iguarias pode conquistar o registro de Denominação de Origem (DO), abrindo as portas para novos mercados. Já está em fase de desenvolvimento, com garantia de recursos, pelo governo mineiro, a implantação do Centro de Especialização e Pesquisa do Queijo Artesanal do Serro, que servirá de referência e análise para produtores de 11 municípios da região. As obras devem ser iniciadas nos próximos meses, com previsão de término até o fim do ano.

De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor), Epaminondas Miranda, o governo do Estado já autorizou a liberação de recursos para o projeto. O valor, ainda em fase de levantamento, será disponibilizado pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig).

“Estamos trabalhando para desenvolver um projeto que atenda à demanda dos municípios produtores do Queijo do Serro. A construção do centro de pesquisa será um grande avanço. É uma das ações mais importantes para a continuidade da produção do Queijo do Serro e para alcançarmos outros mercados”, disse Miranda.

O centro de pesquisa contará com um laboratório de análise, onde será avaliado todo o processo de produção e maturação, incluindo a qualidade da água. Com as análises, a expectativa é que os produtores se adéquem à legislação e consigam regularizar a produção, o que é importante para atender a novos mercados e agregar valor ao queijo.

O queijo Minas Artesanal produzido na região do Serro recebeu, em 2011, a 14ª Indicação Geográfica (IG) do Brasil. Com pesquisas exclusivas para a região, a expectativa é avançar no processo para a obtenção do registro de Denominação de Origem (DO).

O centro será administrado pela Associação dos Produtores Artesanais do Queijo Serro (Apaqs) e atenderá exclusivamente aos produtores associados. O local será referência de estudos e análise para produtores dos 11 municípios da região do Serro: Alvorada de Minas, Coluna, Conceição do Mato Dentro, Dom Joaquim, Materlândia, Paulistas, Sabinópolis, Santo Antônio do Itambé, Serra Azul, Serro e Rio Vermelho.

“Vamos trabalhar desde a qualidade do leite até a finalização do queijo, com a maturação. No centro serão estudadas as cascas, os fungos que agem sobre a casca, as bactérias que agem sobre o queijo e várias outras questões. Nossa intenção é promover a evolução da qualidade e entender o que realmente acontece com o produto durante o processo de maturação, quais os benefícios da maturação no quesito sensorial, identificar o paladar do produto da região do Serro e fazer a rota sensorial. Com todos os estudos, esperamos chegar ao funcionamento ideal da nossa Indicação Geográfica (IG) e, com isso, conquistarmos a Denominação de Origem (DO)”, explicou o vice-presidente da Apaqs, Tulio Madureira.

A expectativa, segundo Madureira, é que até o final do ano, o Centro já esteja construído. O projeto será desenvolvido com diversas parcerias, incluindo a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), a Universidade de Diamantina, entre outras.