Home » Cadeia do Leite » Criadores do Piauí investem em vacas de origem indiana para produzir leite antialérgico

Criadores do Piauí investem em vacas de origem indiana para produzir leite antialérgico

03/07/2017 08:51:06 - Por: G1

Raça gir leiteiro produz o leite A2, com propriedades que diminuem bastante a possibilidade de causar reações alérgicas.

Responsive image
Criadores do Piauí estão investindo nos gados da raça gir leiteiro para produzir um leite diferenciado para quem tem algum tipo de intolerância ou alergia. Os animais são de origem indiana, mas se adaptaram bem ao clima local.

A estimativa é que 60 mil pessoas tenham algum tipo de restrição ao leite somente em Teresina. Segundo o criador João Madison, o aumento de pessoas com reações alérgicas aconteceu por causa de uma mutação na proteína do leite, provocada pela mistura de raças de bovinos.

"O gir leiteiro não teve a mutação dos seus genes e por isso produz um leite mais grosso. Enquanto outras raças, como o giloranda, sofreram mudanças ao chegar da Europa", explicou o criador.

O agrônomo André Nogueira destacou que a raça gir leiteiro por não produzir um leite não alérgico é bastante procurada. De acordo com ele, o leite A2 tem propriedades que diminuem bastante a possibilidade de causar reações.

Pensando no público com restrição ao leite, uma fazenda no Povoado Santa Teresa, zona rural de Teresina, vem investindo na raça para a produção do leite diferenciado. Como nem todos os 300 animais da raça gir leiteiro necessariamente são puros, o criador faz exames de DNA no rebanho para conferir a presença dos genes.

"É comprovado cientificamente que a quantidade de leite produzida pela raça gir leiteiro é a mesma da giloranda, que em média é de 60 litros. A partir do leite A2, também nós produzimos o queijo coalho com menos gordura para este público", acrescentou o criador João Madison.