Home » Cadeia do Leite » Proteger o que é bom. É a abordagem da Tetra Pak

Proteger o que é bom. É a abordagem da Tetra Pak

31/07/2017 10:20:40 - Por: Briefing. Foto: Divulgação

Impulsionar a excelência ambiental é uma prioridade estratégica para a Tetra Pak e as questões de sustentabilidade são transversais a toda a nossa atividade e à nossa relação com todos os intervenientes na cadeia de valor.

Responsive image
"Impulsionar a excelência ambiental é uma prioridade estratégica para a Tetra Pak e as questões de sustentabilidade são transversais a toda a nossa atividade e à nossa relação com todos os intervenientes na cadeia de valor". É assim que Ingrid Falcão, responsável pelas políticas ambientais da Tetra Pak Portugal, resume a importância que a sustentabilidade tem para a marca de embalagens.

"Fixámos metas ambientais exigentes para os próximos decénios e estamos plenamente empenhados em cumpri-las", afiança, concretizando que, entre essas metas, há três fundamentais: o desenvolvimento de embalagens que utilizem apenas materiais renováveis, a redução da pegada ambiental em toda a cadeia de valor e o aumento da percentagem de embalagens usadas que são recicladas em todo o mundo.

Faz parte dessa ambição – destaca a responsável – o fornecimento aos clientes de embalagens certificadas pelo Forest Stewardship Council™ (FSC™), o que, na prática, significa que as fibras de celulose usadas nas embalagens são provenientes de florestas geridas de forma responsável. "Fomos a primeira empresa no setor das embalagens a introduzir o sistema de certificação FSC no setor das embalagens de cartão para alimentos líquidos em 2007 e, desde então, já fornecemos aos nossos clientes mais de 200 mil milhões de embalagens certificadas", afirma. A esta certificação junta-se uma mais recente, pela FSC Chain of Custody (CoC), que abrange todas as empresas e fábricas do grupo a nível mundial, num total de 92 localizações, permitindo, assim, fornecer embalagens com a certificação FSC para qualquer parte do mundo. Em Portugal, a primeira embalagem certificada foi lançada em 2011, estando no horizonte conseguir que, até final do ano, mais de 75% das embalagens colocadas no mercado ibérico tenham esse selo.

A ambição da Tetra Pak estende-se à redução do impacto ambiental da atividade, com a marca a assumir o compromisso de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em toda a cadeia de valor em 16% por unidade de receita até 2020, tendo 2010 como ano-base. E, até 2030, a meta é diminuir as emissões de gases com efeito de estufa provenientes exclusivamente das operações da empresa em 40%, tendo como referência os valores de 2015. Faz, ainda, parte dos compromissos ambientais o aumento das embalagens recicladas, tendo como meta a duplicação a taxa de reciclagem mundial para 40% até 2020.

"A nossa abordagem à sustentabilidade vai ao encontro ao nosso lema: protege o que é bom. Além da proteção e segurança dos alimentos embalados nas nossas embalagens, procuramos contribuir ativamente para a proteção do nosso planeta, através de uma atuação assente no valor da sustentabilidade", sublinha Ingrid Falcão, reafirmando que, "mais do que nunca, na Tetra Pak, existe uma preocupação acrescida em conseguir minimizar o impacto no ambiente". "Tendo esta consciência", a marca propõe-se desenvolver produtos que vão ao encontro das necessidades dos consumidores, ao mesmo tempo que procuram ter um impacte mínimo no ambiente. "Desta forma, a inovação torna-se fundamental pela preocupação que temos em apresentar soluções que se adequem às necessidades dos nossos clientes, cumprindo os nossos rigorosos padrões de qualidade e segurança, tendo sempre como preocupação intrínseca a questão ambiental".

Este é um posicionamento que a marca procura partilhar com os consumidores: "Estamos muito atentos a esta temática e, sempre que possível, promovemos a excelência ambiental de toda a cadeia como incentivo para a responsabilidade, combate às alterações climáticas a aumento da reciclagem", comenta a responsável pelas questões ambientais. Um dos focos dessa abordagem é a reciclagem, no entendimento de que a responsabilidade não termina no momento da venda das embalagens aos fabricantes do produto final: "Já há alguns anos que a Tetra Pak promove a reciclagem pós-consumo através do aumento da consciencialização dos consumidores, do apoio a projetos de reciclagem e da expansão de oportunidades de mercado para materiais provenientes da reciclagem das nossas embalagens". Daí a associação a iniciativas como a Hora do Planeta ou as Eco-Escolas, em parceria com a Compal. Mas também a campanha "Amarelo é Diversão", projeto de responsabilidade social em conjunto com a Agros, e com o apoio da Lipor e da Câmara Municipal de Póvoa de Varzim, de que se traduziu num convite à população para reciclar embalagens de cartão da marca de leite com vista à construção de um parque infantil para as crianças do Centro Social Monsenhor Pires Quesado. Ou ainda a parceria com a AFID e a TOUCH, projeto em que, através da reciclagem de embalagens da Tetra Pak usadas, os membros da associação elaboram alcofas, que depois são vendidas, com o valor a reverter para a instituição. "A Tetra Pak envolve-se continuamente em ações de responsabilidade social que, na sua maioria, têm a questão ambiental fortemente associada. A consciencialização da população, em especial dos mais jovens, é para nós essencial, visto que estes são, além de impulsionadores de comportamentos ambientais em suas casas, os futuros responsáveis por uma sociedade mais sustentável. É assim que nos definimos e é por aqui que a nossa estratégia futura passa", frisa Ingrid Falcão.

E será que o consumidor valoriza esta atitude? "Gostamos de pensar que sim, naturalmente. Aliás, é também com esse propósito que as desenvolvemos. Atualmente, assistimos ao aumento do número de consumidores que baseiam muitas das suas decisões de compra em questões ambientais. Este é, de facto, um fator de compra cada vez mais importante, dizem todas as pesquisas que temos conduzido sobre esta matéria", responde. E acrescenta: "A proteção, a conveniência e a funcionalidade são elementos fundamentais numa embalagem alimentar, mas a vertente ambiental – desde os materiais que utiliza, passando pelos processos de fabrico, à sua reciclabilidade para mencionar alguns aspetos – tem ganho muita força nos últimos anos, devido ao grande push mediático criado à sua volta do tema e ao crescimento da consciência de que é realmente necessário tratarmos bem conta do nosso planeta". É assim com os consumidores – que "respondem de uma forma muito favorável às questões ambientais e esperam mais das empresas" –, mas também com os clientes diretos, que se identificam com estes valores. Além de que as questões ambientais são também fatores impulsionadores de uma boa gestão na medida em que permitem economias de consumo de recursos (água, matérias-primas, energia, ...) e otimização e inovação de processos. "Podemos dizer que o ambiente é bom para os negócios na medida em que promove uma boa gestão de recursos a longo prazo, assim como as empresas para prosperarem têm de aprender a proteger o ambiente e a atuar de forma mais sustentável", remata.