Home » Cadeia do Leite » Seleção genômica chega à raça Girolando

Seleção genômica chega à raça Girolando

01/08/2017 10:14:55 - Por: Diário do Comércio

Projeto realizado via parceria-público-privada aumentará a qualidade do rebanho, com ganho de produção

Responsive image
A identificação mais rápida do potencial produtivo dos bovinos é fundamental para o avanço da melhoria genética dos rebanhos e para promover a redução dos custos. Uma das técnicas empregadas para acelerar o processo é o sequenciamento do genoma bovino. Pela primeira vez, a seleção genômica foi feita em uma raça de bovinos leiteiros, a raça Girolando. A expectativa com a tecnologia é estimular e acelerar a melhoria genética do rebanho nacional e, com isso, ampliar a qualidade dos animais e a produção de leite de qualidade.

De acordo com o chefe-geral da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, unidade Gado de Leite (Embrapa Gado de Leite), Paulo do Carmo Martins, o projeto para a raça Girolando começou a ser desenvolvido em 2011 e foi realizado por meio da Parceria Público-Privada (PPP) firmada entre a Embrapa Gado de Leite, a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando (Girolando), a CRV Lagoa e a Zoertis.

“Desde 2011, as entidades vêm trabalhando com o propósito de aumentar a acurácia no que diz respeito à seleção genética de touros voltados para a produção de leite. Com a seleção genômica, teremos, a partir de agora, condições de fazer com que as próximas gerações sejam de melhor qualidade, ganhando tempo, economizando dinheiro e fazendo com que o Brasil aumente a produtividade, com menor custo. Mais que isso, estamos abrindo espaço para exportar os animais e o sêmen para regiões tropicais de todo o mundo”.

Segundo Martins, o genoma é uma assinatura, e através deles é possível saber as características de cada animal, dando condições de identificar aqueles bovinos que têm maior potencial para produção, não só de leite, mas que também reúne as características importantes, como, por exemplo, reprodutivas.

Martins ressalta que o uso da seleção genômica na raça Girolando promoverá um salto na produção nacional de leite, já que haverá uma maior garantia da qualidade dos bovinos. Segundo ele, a maior parte dos animais presentes nas fazendas produtoras de leite ainda é de baixa qualidade genética. Ao investir em um animal de melhor qualidade aumenta-se a produtividade e reduz o custo de produção.

Acesso - Com a seleção genômica, a tendência é que o acesso aos animais e ao material genético de melhor qualidade seja ampliado, uma vez que o custo tende a ser menor.

Hoje, as avaliações genéticas da raça são geradas com base nas informações do Teste de Progênie e do Controle Leiteiro. Enquanto o Teste de Progênie demanda em média sete anos para avaliar um touro - sendo que o resultado pode ser negativo ou positivo - com o auxílio da genômica levará apenas dois anos para concluir a análise e com maior precisão.

“Não é fácil encontrar animais que, com certeza, vão dar boas filhas, mas com a tecnologia genômica os resultados serão mais precisos e mais rápidos. Precisamos aumentar a quantidade de animais de qualidade para que ocorra a redução dos custos e mais produtores tenham acesso à melhoria genética. Com isso, vamos conseguir melhorar a qualidade e a quantidade de leite produzida. Essa é uma grande estratégia. Acreditamos que será importante para o Brasil e para o mundo”, disse Martins.

O presidente da Girolando, Luiz Carlos Rodrigues, acredita que a análise genômica promoverá a evolução rápida da raça, abrindo novas oportunidades de mercados para os produtos.

“Acreditamos que com o projeto genoma do Girolando haverá um avanço muito rápido no melhoramento genético da raça. Já exportamos sêmen e embriões e poderemos ampliar o mercado atendido oferecendo aos compradores mais segurança em termos de desenvolvimento genético da raça”, disse Rodrigues.