Home » Cadeia do Leite » Setor leiteiro do RS vai pedir ajuda a Brasília

Setor leiteiro do RS vai pedir ajuda a Brasília

21/08/2017 09:12:29 - Por: Correio do Povo

Pelos cálculos da Fetag, 2,5 mil famílias se afastaram da atividade nos últimos quatro meses.

Responsive image
O setor leiteiro do Rio Grande do sul buscará medidas em Brasília para contornar a crise que está enfrentando. Pelos cálculos da Fetag, 2,5 mil famílias se afastaram da atividade nos últimos quatro meses. No período, o preço de referência do litro passou de R$ 1,05 para R$ 0,95, segundo o Conseleite. Ontem, deputados estaduais ligados à Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo criaram um grupo de trabalho que tentará encaminhar soluções junto ao governo federal. 

A ideia é marcar reuniões com os ministérios da Agricultura e das Relações Exteriores na próxima semana. Produtores e indústria consideram como medida fundamental para abrandar a crise a redução ou até mesmo o bloqueio das importações de leite em pó de países do Mercosul, sobretudo do Uruguai. Nos contatos em Brasília, os parlamentares gaúchos devem exibir um levantamento que o Sindilat está elaborando para confirmar suspeita de triangulação de leite pelo Uruguai. 

O secretário-executivo do sindicato, Darlan Palharini, diz que os números preliminares indicam que o país vizinho não teria produção suficiente para atender o mercado brasileiro. Para o secretário-geral da Fetag, Pedrinho Signori, a "culpa é do Estado, que não tem uma política de proteção dos produtores". Também será pedido que o governo federal compre pelo menos 20 mil toneladas de leite em pó do Estado e que a Conab revise o preço mínimo do quilo do produto, que hoje é de R$ 11,99 para a Região Sul, para pelo menos R$ 14. A crise do setor também será investigada por uma subcomissão da Câmara Federal.