Home » Cadeia do Leite » A receita da Danone cai 4,4%, para US$ 7,17 bilhões, no 3º trimestre

A receita da Danone cai 4,4%, para US$ 7,17 bilhões, no 3º trimestre

18/10/2018 10:20:02 - Por: Portal Terra

O desempenho, segundo a companhia, foi afetado pelos efeitos cambiais negativos, com a desvalorização das moedas nos mercados emergentes.

Responsive image
Danone, gigante francesa do setor de laticínios, informou nesta quarta-feira, 17 que sua receita no terceiro trimestre de 2018, encerrado em 30 de setembro, recuou 4,4%, para 6,19 bilhões de euros (US$ 7,17 bilhões), ante 6,47 bilhões de euros em igual intervalo do ano passado.

O desempenho, segundo a companhia, foi afetado pelos efeitos cambiais negativos, com a desvalorização das moedas nos mercados emergentes e o fortalecimento do euro em relação à lira turca, ao peso argentino e ao real brasileiro.

"Temos as bases para navegar a atual volatilidade dos mercados emergentes e os obstáculos da moeda, o que nos permite continuar gerando um crescimento sustentável e lucrativo", disse o CEO global da empresa, Emmanuel Faber.

Já as vendas comparáveis e ajustadas cresceram 1,4% no período, com aumento de 3,3% na receita e queda de 1,9% no volume. No negócio de água, o resultado foi ainda melhor, com um incremento de 6,4% para 1,25 bilhão de euros. O desempenho foi influenciado pelo intenso verão europeu e aumento das vendas na América do Norte.

A companhia registrou também recuperação de 2,7% na divisão internacional de laticínios essenciais e à base vegetal (EDP, na sigla em inglês), com "aceleração significativa" em todas as regiões, especialmente na Europa. "O iogurte proporcionou sólido crescimento de vendas e reforçou a liderança da Danone no segmento, notavelmente, em probióticos, produtos para crianças e à base de vegetais", considera a companhia.

Entretanto, a operação de nutrição especializada registrou um declínio de 1,5%, puxado principalmente pela redução nas vendas da China. Fora do território chinês, o segmento registrou crescimento sólido na Indonésia, África e Estados Unidos (EUA). "Isso demonstra como a Danone está equilibrando o crescimento em seus negócios. Nosso desempenho na EDP e na divisão de água compensou as condições desafiadoras na China, onde a nutrição especializada revela mudanças na dinâmica do mercado após 12 meses de crescimento excepcional", avaliou Faber.

Na avaliação global, a América Latina registrou um crescimento médio de vendas de um dígito, mostrando progresso no Brasil, enquanto os volumes se deterioravam na Argentina. No Marrocos, as vendas continuaram afetadas por um boicote contínuo dos consumidores, com recuo de 35%.

A multinacional confirmou sua orientação para 2018 e tem como alvo o crescimento recorrente de EPS de dois dígitos a taxas de câmbio constantes, excluindo a venda da Yakult. A empresa disse que a orientação anual não leva em conta a aplicação da contabilidade de hiperinflação na Argentina a partir de 1º de julho.

A Danone afirmou, ainda, que espera que a volatilidade do mercado continue, assim como condições inflacionárias em matérias-primas como açúcar, frutas, leite e materiais de embalagens.