Demanda retraída pressiona cotações de farelo de soja

18-12-2020 09:47:27 Por: Débora Kelen Pereira da Silva, em Boletim do Leite Cepea

Demanda retraída pressiona cotações de farelo de soja
Após os preços de farelo de soja registrarem consecutivas altas no decorrer de 2020, chegando a recordes reais em novembro, parte das indústrias elevou a importação da matéria-prima entre outubro e novembro, abastecendo os consumidores domésticos de farelo de soja para o restante do ano. Diante disso, a procura por este subproduto esteve baixa na primeira quinzena de dezembro no mercado doméstico, pressionando as cotações.

Na média das regiões acompanhadas pelo Cepea, os preços do farelo de soja caíram 4,3% entre novembro e a primeira quinzena de dezembro. Vale ressaltar, entretanto, que os atuais preços ainda estão significativos 94,6% superiores aos praticados em dezembro de 2019. Na parcial deste ano, de janeiro a 15 de dezembro, os valores do farelo de soja estão 46,8% acima da média dos preços negociados em 2019.

Indústrias brasileiras já começaram a encerrar o processamento deste ano. Uma parte das fábricas já está abastecida com soja para moagem no primeiro bimestre de 2021, e outra parcela tenta adquirir lotes para recebimento entre março e abril.

A expectativa é de aumento de 2,8% na demanda doméstica por farelo de soja na temporada 2020/21, estimada pelo USDA em 18,5 milhões de toneladas, um recorde caso se confirme. Isso se deve às expectativas de crescimento nos setores de aves e suínos.