Home » Cadeia do Leite » Depois de reduzir preço das ações, Camil conclui oferta inicial

Depois de reduzir preço das ações, Camil conclui oferta inicial

27/09/2017 08:59:18 - Por: Valor Econômico

Cerca de 70% dos investidores da fabricante de alimentos são brasileiros, público para o qual a Camil voltou mais suas atenções nos últimos dias na tentativa de concluir a transação.

Responsive image
Depois de encontrar investidores mais resistentes, a fabricante de alimentos Camil conseguiu ontem concluir sua oferta inicial de ações a R$ 9 por papel, piso da faixa indicativa de preço revisada. Com isso, a Camil chegará à bolsa na quinta-feira valendo R$ 3,69 bilhões.

O IPO (oferta inicial de ações) movimentou R$ 1,319 bilhão, um valor mais modesto do que a companhia pretendia alcançar inicialmente, quando sinalizou a intenção de vender seus papéis por um preço entre R$ 10,50 e R$ 13. Ao encontrar pouca demanda pelos papéis, a Camil revisou seus planos.

Cerca de 70% dos investidores da fabricante de alimentos são brasileiros, público para o qual a Camil voltou mais suas atenções nos últimos dias na tentativa de concluir a transação.

A oferta da Camil tem como objetivo captar recursos novos para realizar investimentos, além de dar saída parcial a alguns de seus acionistas, como a gestora de fundos de private equity Warburg Pincus e alguns integrantes da família Quartiero, controladora da fabricante de alimentos.

A companhia levantou cerca de R$ 370 milhões para tocar seus planos de investimento, que incluem a expansão do portfólio da marca União, hoje bastante ligada ao açúcar, mas que a Camil quer levar para outros produtos, como leite condensado e café.

Com atividades no Uruguai, Chile, Peru e Argentina, além do Brasil, a Camil também quer atuar como um agente consolidador do mercado de alimentos na América do Sul. Isso pode ser feito de forma orgânica ou via aquisições.

Com a venda parcial de suas ações na Camil, a Warburg Pincus levantará cerca de R$ 818 milhões e terá sua participação reduzida de 31,75% para 6,42%.

Essa é a segunda venda via bolsa de ativos do seu portfólio que a Warburg Pincus faz em menos de dois meses. Em julho, a gestora levantou R$ 250,6 milhões com a alienação de 100% das ações que detinha na empresa de energia Omega Geração.

No balanço anual encerrado em 28 de fevereiro de 2017, a Camil teve uma receita líquida de R$ 3,69 bilhões e lucro líquido de R$ 201,5 milhões.

A oferta da Camil foi coordenada pelos bancos de investimento Bank of America Merrill Lynch (BofA), Bradesco BBI, Itaú BBA, J.P. Morgan e Santander.

Próxima na fila de estreantes na bolsa de valores, a companhia de tecnologia Tivit também ainda contava ontem com uma demanda fraca por seus papéis, segundo fonte. Ontem, segundo o Valor apurou, a companhia sinalizou a investidores que poderia revisar para baixo a faixa indicativa de preço, que vai de R$ 43 a R$ 51.

Em maio, depois que as delações dos irmãos Batista sacudiram os mercados, a opção da Apax, controladora da Tivit, foi por adiar a oferta. Pelo cronograma do IPO, o preço dos papéis será fixado amanhã, por isso a companhia tem pouco tempo para tomar uma decisão.