Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/guialat/public_html/index.php:3) in /home/guialat/public_html/conecta.php on line 2

Warning: session_start(): Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /home/guialat/public_html/index.php:3) in /home/guialat/public_html/conecta.php on line 2
GuiaLat - A central dos fornecedores de laticínios 

Home » Cadeia do Leite » Colômbia: importações de leite caíram 35%

Colômbia: importações de leite caíram 35%

25/01/2018 10:25:35 - Por: Portafolio, traduzidas pela Equipe MilkPoint

O maior fornecedor de lácteos para a Colômbia foi Estados Unidos 46%, seguido da Bolívia 14%.

Responsive image
No final do décimo mês do ano, a Colômbia tinha importado 38 mil toneladas de leite, contra 52.275 toneladas no mesmo mês do ano anterior.

Durante os primeiros dez meses do ano passado, o valor das importações de lácteos da Colômbia foi de US$ 96,5 milhões, informou a Federação Nacional de Criadores de Gado (Fedegan). O valor é menor em relação ao mesmo período de 2016, quando foram importadas 51.789 toneladas para um valor CIF de US$ 124 milhões de dólares; em relação ao valor em dólares, só excede o ano de 2012, já que já foram gastos até o final de outubro de 102 milhões.

"Analisando o décimo mês da última década, outubro de 2017 ocupou o terceiro lugar em termos de número de toneladas, quando foram importadas 2.993 toneladas; esse valor é menor se compararmos o décimo mês de 2015 (3.326 t) e 2016 (3.996 t), e superior ao de 2014.”

O maior fornecedor de lácteos para a Colômbia foi Estados Unidos (46%), seguido da Bolívia (14%).

Com menores porcentagens de compras de leite estiveram México, França e Espanha; o resto da lista é ocupada por países como Equador, Argentina, Holanda, Chile e Uruguai, entre outros.

Sobre o assunto, José Félix Lafaurie, presidente da Fedegan, indicou que este primeiro semestre do ano será difícil para os pecuaristas do país.

"À falta de solidariedade da indústria, somam-se dois fatores. Por um lado, teremos um bom clima, representado por chuvas abundantes, o que aumentará os volumes de produção, enquanto as importações crescerão devido às cotas negociadas nos acordos de livre comércio em vigor entre a Colômbia e outros países.”

Finalmente, Lafaurie pediu ao governo que fique atento sobre a "posição dominante" de algumas indústrias de processamento de leite, para evitar menores preços de compra para os produtores do país, aumentando suas importações.

Regularmente, segundo os produtores, a indústria de processamento alega uma situação de "enlechada" (produção abundante), a fim de reduzir os preços de compra, ao mesmo tempo que faz importações.