Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/guialat/public_html/index.php:3) in /home/guialat/public_html/conecta.php on line 2

Warning: session_start(): Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /home/guialat/public_html/index.php:3) in /home/guialat/public_html/conecta.php on line 2
GuiaLat - A central dos fornecedores de laticínios 

Home » Cadeia do Leite » Incerteza na pecuária leiteira não tira o brilho da ExpoFrísia

Incerteza na pecuária leiteira não tira o brilho da ExpoFrísia

02/05/2018 09:33:32 - Por: Portal DBO

Com novas instalações e genética apurada, evento promovido pela Frísia em Carambeí, PR mostra a força do cooperativismo.

Responsive image
A ExpoFrísia 2018, realizada pela Cooperativa Frísia no município paranaense de Carambeí de 26 a 28 de abril,  terminou com saldo positivo em relação às edições anteriores, com público estimado de 8.000 visitantes. O presidente da cooperativa, Renato Greidanus, ressalta que, além da qualidade genética do rebanho que foi a julgamento na pista, os investimentos que foram feitos na infraestrutura tornaram o evento mais confortável para os participantes. Entre eles, ele destaca uma nova área coberta onde acontece a recepção e preparação dos animais, com melhores condições para tratadores e demais envolvidos, e o recinto das palestras, recém-construído, com 1.300 m² e capacidade para 1.400 pessoas.

Para Greidanus, o evento anual funciona como uma oportunidade de divulgação da genética da região, que vem evoluindo ano a ano graças a algumas ações junto aos cooperados, como o catálogo de touros que a Frísia e as cooperativas parceiras – Capal e Castrolanda - oferece aos produtores, assessorando-os na escolha do melhor animal para suas necessidades. Além disso, a ExpoFrísia promove a confraternização entre os cooperados e possibilita o acesso dos produtores às tecnologias oferecidas pelas empresas participantes. “Também é uma oportunidade de se abordar, nas palestras e nas conversas dos produtores com a nossa área técnica, todas as questões relativas à cadeia do leite”, diz.

Entre as palestras técnicas, uma delas, a cargo da  chefe do Departamento  de Licenciamento de Atividades Poluidoras do Instituto Ambiental do Paraná, Rossana Baldanzi, foi sobre portaria recente do IAP que trata do Licenciamento Ambiental da atividade de bovinocultura. Ela esclareceu os produtores sobre a nova norma e como proceder para obter o licenciamento. O foco principal foi o manejo correto dos dejetos dos animais, que na região são em sua maioria confinados. Segundo Greidanus, os técnicos da cooperativa estão atentos e aptos a orientar os produtores sobre como fazer o tratamento. “A cooperativa tem um programa que premia o produtor pela qualidade  do leite, e boas práticas de produção é um dos critérios. Fora isso nós temos a nossa área ambiental, que tem auxiliado o produtor no diagnóstico da sua propriedade para que ele possa dar um tratamento adequado aos dejetos, para posterior aplicação como fertilizante na área agrícola”.

Quanto ao cenário para a produção de leite, Greidanus relata que o produtor passou por um período difícil, com preços muito achatados, e que no momento em que o preço iniciou uma recuperação o preço dos grãos se elevou, em consequência do clima, aumentando os custos de produção. “Aqueles produtores que não fizeram a lição de casa, com uma gestão rigorosa da produção, estão deixando a atividade. A oferta de leite diminuiu e fez com que os preços se elevassem um pouco. A recente alta do dólar reduziu as importações, contribuindo também para essa elevação. Outro fator é a demanda de consumo, que apresentou leve recuperação. Mas nada garante que ela se mantenha”. O futuro, segundo ele, é incerto.

Ele identifica uma onda de concentração na produção leiteira, uma vez que a produção em escala dilui os custos de produção, e argumenta que o sistema cooperativo é uma possibilidade de o produtor obter maior estabilidade de renda. “O modelo cooperativo aplicado aqui na nossa região dá uma segurança ao produtor que considero muito boa. E é em eventos como a ExpoFrísia que a gente tem a oportunidade de aprofundar as questões relativas à cadeia do leite, para garantir que a atividade tenha um futuro para as famílias envolvidas.  Por isso mesmo realizamos aqui o Clube de Bezerras, que estimula a sucessão familiar na atividade leiteira”. O Clube de Bezerras é coordenado pelo setor de Pecuária Leiteira da Frísia e atende filhos de cooperados e de colaboradores das propriedades, que aprendem desde cedo a cuidar dos animais. Durante a ExpoFrísia, as crianças conduzem os animais em pista.