Home » Cadeia do Leite » Queijo Minas artesanal: Prêmios podem favorecer mudanças legislativas

Queijo Minas artesanal: Prêmios podem favorecer mudanças legislativas

25/07/2017 08:20:40 - Por: Diário do Comércio

A modernização das leis é importante para o registro de novos produtos e para que as famílias consigam regulamentar as propriedades e comercializar os queijos de forma regular.

Responsive image
No 1º Festival do Queijo Minas Artesanal, que acontece entre 28 e 30 de julho, cada região terá um estande que reunirá os queijos produzidos por vários produtores. Um dos participantes é o produtor Guilherme Ferreira, da Fazenda Estância Capim Canastra, em São Roque de Minas. Em 2015, Ferreira foi o primeiro produtor brasileiro a conquistar uma medalha no “Mondial du Fromage”, um dos mais renomados certames do setor realizado na França.

“O festival tem como principal objetivo unir as regiões produtoras e mostrar a força do Queijo Minas Artesanal. Um evento voltado para o queijo e realizado em uma grande capital é fundamental para o setor, principalmente por incluir produtores, consumidores finais, chefs de cozinha. Vamos mostrar nosso trabalho e nossa tradição”.

A expectativa de Ferreira é que as conquistas consecutivas de prêmios na França e os esforços dos produtores para ampliar a qualidade dos queijos sejam reconhecidos pelo governo e que as modificações necessárias na legislação sejam feitas. A modernização das leis é importante para o registro de novos produtos e para que as famílias consigam regulamentar as propriedades e comercializar os queijos de forma regular no País e no mundo.

“A conquista da medalha no “Mondial du Fromage”, em 2015, abriu uma janela enorme de Minas Gerias para o Mundo. A certeza disso foi o sucesso de 2017. Em 2015 foram oito produtores inscritos e, neste ano, mais de 30, e conquistamos 12 medalhas. Acho que é um reflexo do trabalho de Minas, onde os produtores estão comprometidos e investindo na qualidade. Nossa esperança é que todo este movimento desperte o interesse dos governos para a necessidade de modernizar a legislação”.

Este ano, pelo fato de a legislação em vigor proibir a saída do queijo do País, os queijos de Ferreira que iriam participar do “Mondial du Fromage” foram transportados de forma irregular e congelaram, o que comprometeu a participação no certame.