Home » Cadeia do Leite » Dia de Campo destaca a segurança do leite

Dia de Campo destaca a segurança do leite

01/10/2018 08:59:05 - Por: Embrapa Clima Temperado. Foto: Paulo Lanzetta/Embrapa

O 7º Dia de Campo do Leite da Embrapa acontecerá no dia 4 de outubro na Estação Experimental Terras Baixas, Capão do Leão/RS.

Responsive image
Nesta próxima semana, a Embrapa Clima Temperado (Pelotas,RS) realiza o 7º Dia de Campo do Leite, evento tradicional na instituição, que traz novidades para o setor leiteiro da região. A programação será marcada por apresentar seis estações tecnológicas que irão tratar de temas envolvendo o desenvolvimento de pastagens, o uso da água e a segurança do leite.

Os grandes destaques do evento vão ficar por conta da BRS Sul - régua de pastagens - e as recomendações para a produção com segurança do produto-leite, dentro de uma abordagem sobre os principais  fatores de risco químico, físico e biológico do leite  e como tratá-los.

Estações Tecnológicas

As primeiras estações vão tratar de apresentar as cultivares recomendadas pela Embrapa para manter pasto durante todo o ano, evitando os vazios forrageiros na região Sul. Eles ocorrem geralmente nos períodos de outono, entre março e maio, e de primavera, entre outubro e dezembro. Então, o planejamento das pastagens é fundamental para que não ocorram essas lacunas. Além dos materiais da Embrapa, a Vitrine de Forrageiras é composta também por outros materiais de uso comum. Serão apresentadas as pastagens anuais de inverno: Aveia BRS Centauro, Aveia BRS Madrugada; Aveia URS F Flete; Azevém BRS Integração; Azevém BRS Ponteio; Centeio BRS Serrano; Trevo Persa BRS Resteveiro; Trevo Vesiculoso BRS Piquete; Trigo BRS Pastoreio; Trigo BRS Tarumã; Triticale BRS Saturno. Pastagens anuais de verão: Capim Sudão BRS Estribo; Milheto BRS 1503. Pastagens de inverno: Cornichão URSBRS Posteiro;Trevo branco BRSURS Entrevero. Pastagens Perenes de verão: Capim-elefante anão BRS Kurumi; Capim-elefante silageiro BRS Capiaçu; Capim Panicum maximum BRS Zuri; Capim Panicum maximum BRS Tamani; Capim Panicum maximum BRS Quênia; Capim Panicum maximum Mombaça; Capim Panicum maximum Aruana; Capim-nilo- Grama Florakirk ; Grama Missioneira Gigante; Grama Hemarthria; Grama Jiggs e- Grama Tifton 85.

A estação que vai tratar da silagem de capim-elefante, recomendou o uso da BRS Capiaçu, como uma alternativa alimentar de boa tolerância ao estresse hídrico e produção de forragem, justificando sua utilização na forma de silagem.

Outra temática que será tratada em uma das estações é a oferta da água de qualidade. A água é importante recurso para manter a sanidade do rebanho leiteiro e garantir bons índices zootécnicos para gerar produtos de qualidade. A quantidade de água a ser ofertada para os animais é fundamental, mas a quantidade não é garantia da manutenção de bons índices zootécnicos e qualidade de produto, sendo necessário também observar a qualidade da água ofertada aos animais e aquela destinada à limpeza das instalações. Os pesquisadores irão recomendar cuidados com os recursos hídricos, atendendo à legislação ambiental,  como por exemplo, a garantia da exclusão do rebanho leiteiro das áreas de preservação permanente, para possibilitar melhorias na produção do rebanho.

A Biossegurança será um dos temas a ser tratado em uma das estações tecnológicas. Essa estação irá aborar as práticas de manejo, que visam reduzir as chances de transmissão de doenças infectocontagiosas, as quais podem ser propagadas entre rebanhos, animais e pessoas que circulam entre propriedades leiteiras. Há inúmeras zoonoses de importância à saúde pública, mas neste Dia de Campo, os pesquisadores irão falar sobre zoonoses como: tuberculose, brucelose, leptospirose e raiva, assim como, os principais fatores de risco, prevenção e controle de patógenos relacionados a essas doenças.

A estação da Segurança do Leite vai chamar a atenção dos participantes para produzir o produto leite de forma segura, visando garantir uma matéria-prima de qualidade para produção de derivados lácteos de elevado valor nutricional e livre de doenças, resíduos e contaminantes. Esta estação vai tratar dos perigos na produção de leite (perigos biológicos, físicos, químicos). Segundo os pesquisadores da área de pesquisa em leite, a melhor forma de prevenir os perigos na produção do leite são as Boas Práticas Agropecuárias (BPA), que consistem no conjunto de atividades, procedimentos e ações adotadas em todas as etapas de produção na propriedade rural com a finalidade de obter leite de qualidade e seguro ao consumidor. As BPAs englobam desde a organização da propriedade, suas instalações e equipamentos, bem como formação e capacitação dos responsáveis pelas tarefas cotidianas realizadas. Nesta estação serão dadas também recomendações para o controle dos perigos biológicos, físicos e químicos e indicações práticas no processo de pasteurização do leite.

Serviço:
7º Dia de Campo do Leite da Embrapa
Data: 4 de outubro
9h às 12h - estudantes e professores
13h às 17h - produtores rurais e interessados
Local: Estação Experimental Terras Baixas (ETB), Capão do Leão/RS.