Fonterra volta à lucratividade e planeja vender participação na DFE Pharma Fonterra volta à lucratividade e planeja vender participação na DFE Pharma

22-03-2019 11:18:46 - Por: FoodBev, traduzidas e adaptadas pela Equipe MilkPoint

O plano envolve fazer um balanço dos negócios e realizar uma análise de portfólio, acertar o básico e melhorar as previsões.

Fonterra volta à lucratividade e planeja vender participação na DFE Pharma
A Fonterra registrou lucro líquido após impostos de NZ$ 80 milhões (US$ 54,85 milhões) nos seis meses até 31 de janeiro, depois de seu primeiro prejuízo anual no ano passado. A receita caiu 1% para NZD$ 9,7 bilhões (US$ 6,65 bilhões), já que o negócio de ingredientes da empresa na Austrália foi afetado pela seca, levando a um declínio nas captações de leite no país.

A companhia está atualmente realizando uma importante revisão financeira, que foi implementada depois que a empresa registrou um prejuízo de NZ$ 196 milhões (US$ 134,4 milhões) no exercício de 2018. Em razão disso, a Fonterra anunciou que pretende vender sua participação de 50% na DFE Pharma, uma joint venture estabelecida em 2006 entre a Fonterra e a FrieslandCampina, que fornece excipientes farmacêuticos. Também, está avaliando o seu interesse na joint venture de consumidores venezuelanos, Corporación Inlaca, com a empresa internacional de alimentos Mirona. Enquanto isso, a Fonterra disse que possui "forte interesse" na marca de sorvetes Tip Top, que anunciou que consideraria vender no ano passado, e está "considerando ativamente suas opções" por sua participação na Beingmate.

Miles Hurrell, que foi permanentemente nomeado CEO da Fonterra no início deste mês, depois de atuar como diretor executivo interino desde agosto passado, disse que a empresa está em um “bom caminho” para reduzir a dívida até o final do ano em NZ$ 800 milhões (US$ 548,58 milhões).

“O desempenho constante dos ingredientes da Nova Zelândia no primeiro semestre do ano fiscal de 2019 foi compensado por desafios nos ingredientes da Austrália e isso fez com que os nossos produtos totais diminuíssem 17% para NZ$ 461 milhões (US$ 316,12 milhões). Nosso negócio de ingredientes na Austrália continua sentindo o impacto da seca. Podemos ver isso no declínio das captações australianas de leite e na competição agressiva de preços pelo mesmo, o que está resultando na subutilização de ativos industriais e no aperto das margens", disse Miles. 

Segundo ele, o plano de três pontos envolve fazer um balanço dos negócios e realizar uma análise de portfólio, acertar o básico e melhorar as previsões. "Fizemos um bom progresso até agora e continuaremos a dar esses passos no segundo semestre para firmar nossas fundações e fortalecer nosso balanço. O segundo semestre também nos verá dando continuidade ao trabalho de desenvolver uma nova estratégia para apoiar uma mudança de direção muito necessária. Estamos fazendo as coisas certas, mas é claro que é preciso mais para melhorar nosso desempenho. Precisamos simplificar e melhorar a cooperativa para que possamos aumentar o valor”, explicou Hurrell.