Rabobank: crescimento global da oferta de leite estagna no 1º trimestre de 2019 Rabobank: crescimento global da oferta de leite estagna no 1º trimestre de 2019

09-04-2019 09:47:37 - Por: Dairy Reporter, traduzidas pela Equipe MilkPoint

A pressão na produção de leite será notada ao longo do primeiro semestre de 2019 e pode atingir os números mais baixos desde 2016.

Rabobank: crescimento global da oferta de leite estagna no 1º trimestre de 2019
O primeiro trimestre do ano chegou ao fim e o Rabobank divulgou os números em seu relatório Dairy Quarterly. Os maiores exportadores mundiais de produtos lácteos estagnaram o crescimento anual da oferta de leite, mas os EUA estão experimentando um ‘mercado misto’.

A indústria mundial de lácteos está enfrentando problemas de abastecimento em 2019. As causas variam de acordo com o mercado, mas incluem crescimento econômico mais fraco, preços mais altos, fracas vendas de varejo, condições geopolíticas e desafios climáticos. O Rabobank disse que a pressão na produção de leite será notada ao longo do primeiro semestre de 2019 e pode atingir os números mais baixos desde 2016.

Em particular, o Rabobank acredita que o Brexit está afetando a indústria da União Europeia (UE) e os desafios climáticos na Argentina e na Nova Zelândia começaram a aumentar a pressão da oferta, o que continuará ocorrendo nos próximos meses.

Recessão em 2020

Segundo o Rabobank, os dados de janeiro e fevereiro indicam que os EUA registraram vendas menores em termos de volume para iogurtes (queda de 2%), queijo processado (queda de 3,9%) e leite líquido (queda de 4%). Mas o queijo in natura e a manteiga aumentaram, respectivamente, 3,8% e 4%, impulsionados pelos menores preços de varejo.

Os preços do queijo in natura caíram 2%, do queijo processado 0,2% e da manteiga 1,3%. Os preços do iogurte e do leite fluido permaneceram estáveis em comparação ao ano passado. O Rabobank previu que os EUA terão um pequeno excedente exportável de lácteos no primeiro semestre de 2019; a produção aumentará ligeiramente ao longo do ano e a demanda doméstica sentirá uma maior pressão.

Os EUA podem perder totalmente o aumento dos preços globais do mercado de lácteos em 2019 devido à oferta interna adequada aliada aos desafios do comércio e ao clima geopolítico. Com os EUA lutando contra tantas batalhas comerciais, o relatório sugere que o país pode ter que encontrar “novos mercados para os laticínios adicionais". Os efeitos da guerra comercial continuam repercutindo nos continentes, já que as tarifas norte-americanas permanecem em vigor. Qualquer "acordo comercial" entre Trump e Xi Jinping continua sendo adiado. Segundo o Rabobank, o crescimento econômico global será mais sombrio nos próximos anos e o banco prevê uma recessão nos EUA no segundo semestre de 2020.

Citando os dados do USDA, o relatório espera que os preços dos lácteos no varejo subam 2,5% este ano, após oito anos abaixo da taxa histórica (+ 2%). Preços de varejo mais altos, um crescimento econômico levemente mais fraco e uma alta demanda de serviços de alimentos contribuirão para reduzir o crescimento da demanda doméstica por produtos lácteos nos EUA em 2019.