Valio estabelece metas climáticas em conformidade com o Acordo de Paris Valio estabelece metas climáticas em conformidade com o Acordo de Paris

06-03-2020 11:20:49 - Por: Dairy Reporter, traduzidas pela equipe do MilkPoinT

A Valio pretende atingir uma pegada líquida zero de carbono para o leite até 2035.

Valio estabelece metas climáticas em conformidade com o Acordo de Paris
A empresa de laticínios e alimentos Valio, de propriedade de fornecedores de leite finlandeses, comprometeu-se a estabelecer metas cientificamente avaliadas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

A Valio já havia anunciado que pretende atingir uma pegada líquida zero de carbono para o leite até 2035. As metas a serem estabelecidas durante 2020 são baseadas no acordo climático de Paris de aquecimento global, limitado a 1,5°C.

O objetivo da organização Science Based Targets (SBT) é que as metas climáticas das empresas sejam baseadas na ciência e resultem em reduções significativas nas emissões. Os membros da organização incluem WWF, UN Global Compact, CDP e World Resources Institute. A organização Science Based Targets avalia e aprova de forma científica e independente os alvos das empresas.

Juha Nousiainen, diretora da cadeia de leite neutro em carbono da Valio, disse: “A mudança climática é o maior desafio global do nosso tempo. Conhecemos os impactos de nossas próprias operações, da fazenda à prateleira da loja e queremos fazer parte da solução. As grandes empresas possuem uma oportunidade significativa de causar impacto e, ao mesmo tempo, uma responsabilidade de mitigar as mudanças climáticas. É por isso que nós também estamos participando.”

A Valio tem um programa climático em andamento para zerar a pegada de carbono do leite. As metas são baseadas na ciência serão vinculadas ao trabalho e às metas em andamento.

“Fomos o primeiro laticínio do mundo a publicar há mais de um ano nosso programa climático voltado para o leite neutro em carbono. Nossos objetivos mais importantes são fortalecer os sumidouros de carbono das pastagens, reduzir as emissões de turfeiras drenadas das áreas úmidas e colocar esterco em uso”, disse Nousiainen.

“No futuro, o estrume será cada vez mais usado para produzir biogás como substituto dos combustíveis fósseis usados no transporte. Ao mesmo tempo, os nutrientes valiosos serão reciclados. Naturalmente, reduziremos as emissões também nas plantas de produção e no transporte.”

Mais de 200 fazendas leiteiras da Valio participaram do treinamento para produtores de carbono organizado em colaboração com o Baltic Sea Action Group. Os projetos CARBO estão pesquisando o sequestro de carbono da grama em parceria com o Instituto Meteorológico Finlandês, Instituto de Recursos Naturais da Finlândia (Luke), Universidade da Finlândia Oriental.

"Uma parcela significativa, mais de 90%, da pegada de carbono do leite se origina na fazenda de leite, antes que um caminhão de leite entre nos portões. Claramente, as emissões de toda a cadeia de valor - de vacas a plantas de produção e logística - farão parte de nossas futuras metas. Planejamentos mais específicos aprovados por um órgão independente nos ajudarão a avançar em nosso trabalho climático”, afirmou Nousiainen. A Valio pretende receber aprovação para seu Science Based Targets durante 2020.