Programa Agronordeste: Embrapa Caprinos e Ovinos inicia capacitação de técnicos do Senar Programa Agronordeste: Embrapa Caprinos e Ovinos inicia capacitação de técnicos do Senar

23-06-2020 07:57:24 - Por: Embrapa, Foto: Maíra Vergne

Foi mobilizada uma equipe de 26 pesquisadores e 13 analistas da Embrapa e de instituições parceiras como a Universidade Federal do Ceará.

Programa Agronordeste: Embrapa Caprinos e Ovinos inicia capacitação de técnicos do Senar
Começou ontem dia (22/06) o curso virtual “Atualização tecnológica em ovinocultura e caprinocultura”, elaborado pela Embrapa Caprinos e Ovinos e parceiros para a capacitação de técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) no âmbito do Programa Agronordeste. O conteúdo do curso é dividido em cinco módulos, que abordam inteligência territorial, sanidade, segurança alimentar, melhoramento genético e agregação de valor. Além das videoaulas e material de apoio, estão previstos momentos de interação entre alunos e facilitadores.

O treinamento faz parte das ações da Embrapa em apoio ao Agronordeste, programa criado pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) para promover a inovação nas cadeias produtivas prioritárias do Semiárido brasileiro. O Senar prestará assistência técnica e gerencial aos produtores rurais e cabe à Embrapa capacitar os técnicos no uso as tecnologias adequadas à região.

“Com a definição da caprinocultura e da ovinocultura como atividades prioritárias em vários territórios onde o Agronordeste atua, temos nos mobilizado para atender esse chamamento, entendendo a importância e a oportunidade que tem o Semiárido dentro desse programa liderado pela ministra Teresa Cristina (MAPA)”, explica Marco Bomfim, chefe geral da Embrapa Caprinos e Ovinos.  

A Embrapa desenhou um processo de capacitação para atualização tecnológica que, a princípio, seria presencial, contemplando as superintendências do Senar nos estados do Nordeste onde a caprinocultura e ovinocultura foram consideradas prioritárias: Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Piauí, Pernambuco e Bahia.  “Tivemos uma conversa com o Senar e estava tudo certo para ser presencial, mas com a pandemia mudamos a estratégia. Reposicionamos nossa equipe e, em pouco mais de um mês, preparamos um conteúdo robusto, com mais de 50 videoaulas, material de apoio e interação virtual dos treinandos com os instrutores. Foi mobilizada uma equipe de 26 pesquisadores e 13 analistas da Embrapa e de instituições parceiras como a Universidade Federal do Ceará, Instituto Federal do Piauí e Embrapa Meio-Norte”, afirma Bomfim.

A estratégia de capacitação tem três pilares: treinamento à distância (EAD); treinamento presencial; e capacitação específica nas tecnologias da Embrapa, que será feita em campo. As duas últimas etapas serão cumpridas após o período de distanciamento social imposto pela pandemia.

A primeira superintendência do Senar a iniciar esse processo de treinamento virtual será a do estado da Paraíba, que já havia feito a demanda à Embrapa Caprinos e Ovinos antes da pandemia. Sérgio Martins, superintendente do Senar da Paraíba, afirmou durante a abertura virtual do curso que o Agronordeste é o grande programa do sistema Faepa/Senar e que acredita que trará uma transformação aos produtores rurais das cadeias de caprinocultura e ovinocultura. “Este programa será um diferencial ao levar um serviço de assistência de qualidade e a visão de gestão ao produtor rural. Com essas 600 propriedades do Agronordeste no Cariri Paraibano, nossa equipe chegará a atender aproximadamente 2.300 propriedades em todo o estado. Teremos, a partir do curso, esse grande desafio de levar as tecnologias em linguagem acessível a pequenos produtores e fazer diferença no trabalho desses agricultores”.

Depois dessa primeira turma, o curso será estendido para os outros estados. A Embrapa também está negociando com o Senar, em âmbito nacional, para que seja realizado um treinamento mais amplo, que vai atender a demanda de outros grupos, tanto de assistência técnica quanto de outras organizações.  

Desde 2019, a Embrapa Caprinos e Ovinos vem investindo em ensino à distância, seu primeiro curso foi em sistemas agroflorestais e obteve grande aceitação. Em nova oferta, no início de 2020, recebeu cerca de 7 mil inscrições. “Em função da pandemia, tivemos que reprogramar nosso trabalho e acelerar os planos. Conseguimos, em curto espaço de tempo, produzir um treinamento robusto e essa estratégia será fortalecida de agora em diante, buscando evidentemente a melhoria contínua”, conclui Marco Bomfim.