Volume de exportação de laticínios dos EUA cresce 28% em junho

11-08-2020 10:10:32 Por: Conselho de Exportações de Lácteos dos EUA (USDEC), traduzidas pela Equipe MilkPoint

Volume de exportação de laticínios dos EUA cresce 28% em junho
As exportações de laticínios dos EUA em junho aumentaram 28% em volume e 22% em valor. Os ganhos deste ano foram ainda mais impressionantes, pois foram alcançados durante um dos ambientes de comércio de laticínios mais prejudicados da história.

Em junho, os fornecedores dos EUA enviaram 206.411 toneladas de leite em pó, queijo, produtos de soro de leite, lactose e gordura de manteiga, a maior quantidade (diariamente) desde abril de 2018. O valor de todas as exportações foi de US$ 583,7 milhões.

No total de sólidos de leite, as exportações dos EUA foram equivalentes a 17,7% da produção de sólidos de leite dos EUA em junho, a taxa mais alta desde abril de 2018. Na primeira metade do ano, as exportações foram de 15,8% da produção, ante 14,1% no primeiro semestre de 2019.



Os principais destaques em junho incluíram exportações recordes de queijo, vendas robustas contínuas de leite em pó desnatado (NDM/SMP), recuperação contínua das vendas de soro de leite e vendas recordes de leite/creme fluido. Os ganhos gerais de volume em comparação com um ano atrás vieram do sudeste da Ásia, China e região do Oriente Médio/África do Norte (MENA), além de uma melhoria bem-vinda nas vendas para o México.

As exportações de queijo em junho foram de 38.427 toneladas, 29% a mais do que no ano passado. Grande parte desse volume representa negócios contratados em abril e maio, quando os preços do queijo nos EUA estavam em níveis historicamente baixos. O valor unitário dos embarques foi de apenas US$ 3900/tonelada, o segundo menor dos últimos nove anos.


O México voltou a comprar o maior volume de queijos em dois anos, registrando um ganho de 62% em comparação com o ano anterior. As vendas para a Coreia do Sul também foram fortes, um aumento de 56%, e os embarques para a China mais que dobraram.

As exportações de NDM/SMP superaram 75.000 toneladas pelo segundo mês consecutivo, chegando a 75.831 toneladas em junho, alta de 77% em relação ao ano anterior. As vendas para o Sudeste Asiático foram inferiores aos dois meses anteriores, mas ainda mais que o dobro do volume de junho de 2019. O crescimento veio da Malásia, Filipinas, Indonésia e Vietnã. Enquanto isso, o México fez suas maiores compras em oito meses, registrando um ganho de 13% em relação ao ano anterior. As compras no México foram animadoras, após um declínio de 21% nos primeiros cinco meses de 2020.


Os fornecedores dos EUA também venderam quase 10.000 toneladas combinadas para a China e a região MENA (principalmente o Egito); há um ano, eles venderam menos de 800 toneladas para os dois mercados. Na primeira metade do ano, as exportações para a região MENA aumentaram mais de cinco vezes.

As exportações de soro de leite dos EUA continuaram subindo mais com a força da recuperação das vendas para a China, o principal mercado para o soro de leite dos EUA. O total de vendas de soro de leite foi de 44.794 toneladas, 8% superior ao ano passado e o maior desde agosto de 2018. As exportações de soro desidratado aumentaram 42%. As vendas de isolado de proteína de soro de leite (WPI), embora inferiores aos níveis de novembro a abril, ainda eram 30% mais que no ano passado. Com forte demanda global por proteína, as exportações de WPI dos EUA aumentaram 27% no primeiro semestre do ano.

As demandas de soro de leite da China estão se expandindo, em grande parte devido ao reabastecimento de rebanhos suínos após o surto da febre suína africana do ano passado. O volume de junho foi o maior desde maio de 2018, com alta de 79% em relação ao ano passado. Isso compensou uma queda contínua nas vendas de soro de leite para o México (-52%).

Os fornecedores dos EUA exportaram 13,4 milhões de litros de leite/creme fluido em junho, 17% a mais do que no ano passado. As vendas para Taiwan atingiram um recorde, enquanto as vendas para o Canadá dobraram.

As exportações de lactose em junho foram de 33.184 toneladas, seguindo o padrão dos meses anteriores, mas caíram 4% em relação ao ano passado. Os embarques para a China continuaram melhorando (+19%), enquanto as vendas para o Sudeste Asiático aumentaram 10%. Em ambos os mercados, a demanda pelo uso de fórmulas infantis foi forte.

Entre outros produtos, os embarques de concentrado de proteína do leite (+28%), gordura de manteiga (+15%) e preparações/misturas de alimentos (+17%) foram maiores. O volume de leite em pó integral (-2%) continuou diminuindo.