Produção de leite no RS vem retomando níveis anteriores à estiagem

14-08-2020 10:11:31 Por: EMATER/RS

Produção de leite no RS vem retomando níveis anteriores à estiagem
Os pastos de inverno estão com muito boa disponibilidade de forragem para o rebanho leiteiro e apresentam bom teor de proteína; isso permite reduzir o fornecimento de ração. 

O tempo seco e os dias ensolarados melhoraram as condições dos solos nas pastagens e permitiram manter livres de barro as instalações de ordenha e o manejo de animais. Com isso, melhoram as condições de manejo das pastagens, com adubação de cobertura, beneficiando o desenvolvimento das mesmas. A condição climática tem proporcionado conforto às vacas de alta produção que, consequentemente, demandam alto consumo de pasto. Além disso, aumenta a produção de leite. Produtores estão estimulados pelos preços, considerados compensadores.

Na regional de Erechim, a semana foi ótima para a bovinocultura de leite. Com a presença do sol, aliada às temperaturas amenas, os rebanhos usufruem de alto nível de bem-estar animal e pastejam sobre forrageiras exuberantes. A condição corporal e a sanidade dos animais estão muito boas. O manejo da cama em sistemas confinados também foi facilitado pelas condições climáticas. É boa a drenagem no chão dos corredores por onde os animais acessam as pastagens e os arredores das instalações.

Na regional da Emater/RS-Ascar de Ijuí, a produção segue em ritmo de crescimento gradativo, retomando os volumes anteriores à estiagem, com pequeno aumento em relação ao período anterior. Produtores que apostaram na atividade nos momentos de preço baixo estão contentes com a atual remuneração, com alta do preço.

Em Derrubadas, dados da cooperativa apontam aumento de 16% na produção de julho em relação à de junho, sem que tenha aumentado o número de produtores. Com a elevação dos preços, foi maior a procura por novilhas prenhas. Produtores vêm conseguindo avanços na qualidade do leite, porém há dificuldades em atingir os padrões das instruções normativas de contagem de células somáticas – CCS. São buscadas algumas alternativas para resolver o problema, como descarte de animais considerados problemáticos, melhora no tratamento para o período seco da vaca e busca de genética mais adequada.

Produtores realizaram a aplicação de vacinas, seguindo o calendário sanitário oficial.

Na de Caxias do Sul, foi excelente a oferta forrageira às vacas, permitindo maior produção de leite. A região já conseguiu recuperar a produtividade que havia decrescido com a estiagem e com o vazio forrageiro outonal. Os azevéns estão em pleno pico de produção, com ótima oferta de forragem e excelente teor de proteína. O tempo firme e a ausência de barro no entorno das instalações auxiliaram a melhoria da qualidade do leite, que se manteve de acordo com os padrões exigidos pelo Mapa. A coleta de leite segue normal, respeitando protocolos de limpeza, desinfecção, uso de máscaras, entre outros.

Na regional de Porto Alegre, as temperaturas amenas permitiram boa recuperação dos campos nativos. As pastagens cultivadas de inverno estão com bom crescimento; em algumas propriedades, a oferta forrageira ainda está abaixo de anos considerados normais. Mesmo assim, a situação é muito mais favorável que aquela vivida há alguns meses, durante os quais a escassez forrageira foi muito crítica. Convém lembrar que a produção de silagem de milho foi frustrada, e o aumento dademanda por aquisição de silagem de fora da propriedade elevou o preço e, consequentemente, o custo de produção. O preço médio da silagem ensacada de milho é de R$ 0,40/kg, quase o dobro do praticado no ano passado. Outros insumos externos, como ração e resíduos agroindustriais, também estão mais caros. Esta situação de redução da quantidade de leite produzida e de elevação do custo de produção, que se manteve por vários meses, certamente impactará nas já altas taxas de abandono da atividade leiteira, principalmente entre os menores produtores.

Na Campanha – regional de Bagé, mesmo com as alternativas de crédito bancário e o interesse de produtores em aumentar ou renovar o plantel, é escassa a oferta de novilhas com aptidão leiteira em Hulha Negra e Aceguá, geralmente fornecedores de animais.