Novos insights sobre compra e consumo de lácteos nos EUA

27-08-2020 12:37:50 Por: Cheese Market News, traduzidas pela Equipe MilkPoint

Novos insights sobre compra e consumo de lácteos nos EUA
A geração Millenials e famílias com crianças são os principais públicos que impulsionam o crescimento do setor de laticínios no varejo desde o início da pandemia, de acordo com Megan Sheets, gerente de informações do consumidor da Midwest Dairy. Sheets apresentou uma nova pesquisa sobre os gastos do consumidor com lácteos, junto com Chris Costagli, consultor de insights do cliente, da Information Resources Inc. (IRI), durante o webinar “Navigating Dairy Growth Post-Covid-19”, realizado em 19 de agosto.

“O lar é o novo centro de tudo”, disse Sheets. “Como resultado da pandemia, houve um grande aumento nas refeições em casa. Antes da Covid-19, cerca de 20% da população dos EUA comia 90% das refeições em casa. Agora, cerca da metade das famílias relatam comer em casa em pelo menos 90% do tempo.”

“O aumento das refeições no lar é um fator que contribui muito para o aumento nas vendas de lácteos no varejo”, disse Sheets. As vendas totais em dólares no setor de laticínios ultrapassaram o crescimento das lojas desde o início da pandemia e até o momento. Em 2 de agosto, as vendas do setor de lácteos em 2020 aumentaram 15% em relação ao ano passado.

Para saber mais sobre o público que está impulsionando esse crescimento, a Midwest Dairy fez parceria com a IRI para conduzir uma pesquisa online com consumidores dos EUA que aumentaram seus gastos com leite, queijo, iogurte e manteiga em pelo menos 25% em lojas de varejo nos últimos três meses. A pesquisa foi realizada de 25 de junho a 2 de julho.

“O sabor, a natureza básica dessas categorias, a nutrição que oferecem e sua salubridade foram os principais fatores para o aumento do consumo durante a Covid-19”, diz Costagli. “Aqueles que aumentaram o consumo relataram que isso o consumo de lácteos os deixava satisfeitos, nutridos, confortados e saudáveis.”

“Desde o começo da pandemia de Covid-19, as categorias de queijo, manteiga, iogurte e leite experimentaram um crescimento”, disse Costagli, observando que o consumo de laticínios aumentou em todas as partes do dia, com os maiores aumentos no café da manhã e como lanche.

“O queijo é uma categoria de ingrediente de destaque”, disse ele. No acumulado do ano, o volume de vendas de queijos cresceu para mais de 16%, impulsionado pelo aumento do consumo ao longo do dia, mas principalmente durante o café da manhã, tarde, lanche e lanches noturnos. Costagli disse que o consumo de queijo em sanduíches cresceu 40%, o que faz sentido, uma vez que as crianças não vão à escola e muitas empresas estão mudando para trabalhar em casa.

A manteiga teve um aumento de 32,6% no volume de vendas acumulado no ano, de acordo com dados do IRI. "Mais da metade das pessoas que gastam mais com manteiga dizem que estão preparando mais refeições e assados", diz Costagli.

O iogurte também aumentou o volume de vendas no ano em cerca de 3%. Como a manteiga, o consumo de iogurte aumentou mais durante o café e o lanche da manhã. Seu uso também aumentou como ingrediente e como guloseima. No entanto, Costagli disse que o iogurte não teve o mesmo aumento nas vendas de outras categorias e isso é potencialmente devido à sua natureza de dose única, e ao fato de ter menos pessoas em movimento.

"O volume de vendas de leite cresceu mais de 4% em 2020, com o café e o lanche da manhã liderando, disse Costagli". Embora a utilização em bolos e sobremesas seja o principal motivador para esta categoria, ele observa que este ingrediente também era usado quando os entrevistados estavam procurando por uma guloseima.

As compras em supermercados físicos ainda são o principal método e local para comprar laticínios, mas muitos entrevistados acessaram a internet para fazer suas compras e Costagli espera que o comércio eletrônico aumente.

Os respondentes da pesquisa afirmam que as principais barreiras para a compra on-line são: falta de interação humana nas lojas, sensação de que não estão fazendo o mesmo negócio que fariam na loja, taxas/dicas de entrega, preferências pessoais e necessidades imediatas. Os entrevistados também apontaram essas opções como as principais barreiras para comprar laticínios, além de se sentirem menos à vontade para comprar online.

Quando questionados sobre o que os fabricantes de lácteos poderiam fazer para levar os consumidores a comprar mais, os entrevistados indicaram que gostariam de ver economia de custos, aumento da produção, manterem-se informados sobre as medidas de segurança empregadas e que as empresas deveriam mostras novas maneiras de usar o produto. “Da mesma forma, os entrevistados disseram que procuram os varejistas para obter descontos e disponibilidade de produtos”, disse Sheets.

Para sustentar esse crescimento, Sheets compartilhou as oportunidades de ativação da Midwest Dairy, que incluem a personalização de promoções de marketing para compradores com base na nova pesquisa, para futuras ocasiões de uso, como promoções de "jantar fora em casa" e outras campanhas. Ela diz que outras oportunidades estão disponíveis para responder às barreiras das compras online de laticínios usando vídeos e corredores virtuais de lojas que ajudam os compradores a se conectarem com os laticínios, destacar informações sobre nutrição e bem-estar promovidos pelos lácteos, e personalização de campanhas de marketing para clientes a fim de atender às necessidades das famílias.

“Os consumidores realmente já estão se adaptando ao novo normal e adotando o estilo de vida doméstico, então a categoria de laticínios precisará se ajustar para evoluir para as necessidades do consumidor e permanecer relevante”, diz Sheets.