Preços do leite pagos ao produtor no mês de Agosto/20, segundo Cepea Preços do leite pagos ao produtor no mês de Agosto/20, segundo Cepea

01-09-2020 08:28:56 - Por: Cepea-Esalq/USP. Foto: Ana Lucia Ferreira/Embrapa

Preços pagos ao produtor referentes ao leite entregue em Julho.

Preços do leite pagos ao produtor no mês de Agosto/20, segundo Cepea
O preço do leite captado em julho e pago ao produtor em agosto registrou alta de 10,5% frente ao mês anterior, atingindo R$1,9426/litro na “Média Brasil” líquida, novo recorde real da série histórica do Cepea. Antes disso, o maior valor registrado era de R$ 1,7815/litro, em agosto/16, em termos reais (dados deflacionados pelo IPCA de julho/20).

Desde o início de 2020, o preço do leite no campo apresenta alta acumulada real de 42,9% na “Média Brasil”. Esse avanço foi acentuado entre os meses de junho e agosto, quando os valores subiram 40,1% - nesse período, a valorização do leite ao produtor esteve atrelada à maior competição entre as indústrias de laticínios para garantir a compra de matéria-prima. A concorrência acirrada, por sua vez, está relacionada à necessidade de se refazer estoques de derivados lácteos, em um momento de oferta limitada no campo e de recuperação da demanda.

É importante ressaltar que existe uma tendência típica de aumento das cotações ao produtor entre março e agosto, devido à sazonalidade da produção. Nesse período, a captação de leite é prejudicada pela baixa disponibilidade de pastagens, em decorrência da diminuição das chuvas no Sudeste e no Centro-Oeste. No entanto, neste ano, a situação foi agravada por três fatores: pelas condições climáticas mais severas, que impactaram a retomada da produção leiteira (com destaque para a estiagem no Sul do País), pelo aumento nos custos de produção em relação ao ano anterior e pelos efeitos encadeados associados à pandemia de covid-19.


Cotações de leite cru - Preços pagos pelos laticínios e recebidos pelos produtores (líquido) em Agosto/20 referentes ao leite entregue em Julho/20 nos estados que compõem e não compõem a “Média Brasil”.

Dados deflacionados pelo IPCA de Julho de 2020.

A “Média Brasil” líquida contém os preços de BA, GO, MG, SP, PR, SC e RS ponderados pelos seus respectivos volumes de negociação, sem considerar frete ou impostos. Demais estados RJ, ES, MS, CE e PE não estão incluídos na “Média Brasil”.