Nestlé desenvolve mais alternativas aos lácteos à base de plantas

04-09-2020 10:28:36 Por: Dairy Industries International, traduzidas pela Equipe MilkPoint

Nestlé desenvolve mais alternativas aos lácteos à base de plantas
A Nestlé oferece atualmente uma variedade de produtos à base de arroz, aveia, soja, coco e amêndoas. Os exemplos incluem sorvete não lácteo Häagen Dazs, creme de café Natural bliss nos EUA, bebidas à base de arroz e aveia Nesfit no Brasil, um novo Milo vegano na Austrália e cappuccinos e lattes Nescafé à base de plantas na Europa e Oceania. A Nestlé também lançará os cremes não lácteos Starbucks nos Estados Unidos em agosto, uma alternativa vegana ao leite condensado Carnation no Reino Unido em setembro, bem como uma variedade de queijos não lácteos para complementar seus hambúrgueres vegetais existentes.

O desenvolvimento de alternativas lácteas à base de plantas ocorre em vários centros de P&D da Nestlé, incluindo em Konolfingen, Suíça. Usando uma combinação de tecnologias proprietárias, como extração de proteína vegetal, fermentação e tratamento térmico, os especialistas em laticínios e proteínas criam alternativas lácteas com uma sensação cremosa na boca e sabor agradável.

Produtos à base de plantas feitos de proteína de ervilha são uma área de foco principal para a Nestlé. O Ninho Forti +, bebida à base de aveia e ervilha em embalagem cartonada pronta para beber com canudo de papel, foi o primeiro a ser lançado no Brasil no final de 2019. Em janeiro de 2020, o Nesquik GoodNes foi lançado nacionalmente, nos Estados Unidos. É uma bebida à base de aveia e ervilha com o distinto sabor de chocolate Nesquik e 40% menos açúcar em comparação com produtos semelhantes da categoria.

A empresa lançou recentemente sua primeira bebida totalmente à base de ervilha sob a marca Nesfit no Brasil. "As ervilhas são uma das fontes mais ecológicas de proteína vegetal, mas quando usadas sozinhas, pode ser um desafio transformá-las em uma bebida saborosa", disse Swen Rabe, chefe do Centro de P&D da Nestlé em Konolfingen. “Usando nossas tecnologias proprietárias, bem como nossa experiência na criação de produtos lácteos com estabilidade de prateleira, fomos capazes de desenvolver uma deliciosa bebida à base de ervilha com um teor de açúcar reduzido quando comparada a produtos similares no mercado.”

Globalmente, a Nestlé tem cerca de 300 cientistas, engenheiros e desenvolvedores de produtos de P&D localizados em oito Centros de P&D que se dedicam à pesquisa e ao desenvolvimento de produtos vegetais. Isso representa quase 10% de todos os funcionários de P&D. Para complementar suas capacidades internas, a empresa também colabora estrategicamente com pesquisadores, fornecedores, start-ups e vários outros parceiros de inovação.