Captação de leite no Uruguai aumenta e permite o produtor diluir custos

11-09-2020 12:41:50 Por: El País Digital, traduzidas pela Equipe MilkPoint

Captação de leite no Uruguai aumenta e permite o produtor diluir custos
A captação de leite continua crescendo no Uruguai. O aumento da produção, que vem acompanhado da primavera, está ajudando a melhorar o “caixa” das fazendas leiteiras e faz com que, embora o preço recebido pelo produtor não seja suficiente para compensar os custos, ajude a diluí-los.

Os produtores de leite estão empenhados em aumentar os sólidos (gordura e proteína), pois a indústria paga pelo leite por ambos os componentes. Junto com o maior uso de concentrados e rações, as fazendas leiteiras aumentaram os sólidos no inverno e chegaram com valores elevados.

“O importante para o setor é que estamos com uma produção muito boa. Estamos entre 14% e 15% acima do volume produzido no mesmo mês do ano passado e isso melhora os números dos negócios”, explicou o diretor da Associação Tamberos de Canelones, Justino Zavala.

O setor lácteo está dando um bom salto, precisa que a produção continue crescendo, porque tem que arcar com todos os pagamentos que há meses vem repassando. É preciso pagar pelas rações e concentrados que foram consumidos no inverno e que pagaram a produção, além de outros itens que mantiveram as fazendas leiteiras ativas.

“Felizmente, muito leite está sendo produzido e isso significa que os custos podem ser melhor administrados. Não sobra nada”, disse Zavala. O dirigente alertou que em um momento em que as fazendas leiteiras deviam estar ganhando dinheiro, "isso não está acontecendo", porque foi "um ano muito complicado".

Preço

Por outro lado, a Cooperativa Nacional dos Produtores de Leite (Conaprole) deixou o preço dos sólidos igual a julho para a remissão de agosto. Segundo Zavala, o preço médio por litro era de 12,16 pesos (US$ 0,29), dependendo dos níveis de sólidos e agregando os benefícios, em alguns casos é possível ultrapassar 12,20 pesos (US$ 0,29) por litro. “É um pequeno aumento. Por litro o preço caiu, mas por volume de sólidos, manteve-se”, explicou o dirigente da Associação Tamberos de Canelones.

“O rebanho veio comendo muito concentrado, começou a aparecer pastos e os concentrados e reservas de alimentos ficaram para trás. Isso alivia o bolso", justificou Zavala.

Do ponto de vista dele, a boa notícia é que a Conaprole “vendeu quase toda a produção da primavera e isso é muito importante”, porque “é como se a gente não tivesse pressão, o preço não vai cair e a gente espera que suba um pouco”, refletiu.

Ao mesmo tempo, acrescentou que os produtores têm "bons motivos para pensar que no decorrer da primavera o preço do leite não só não cairá, como melhorará um pouco".

Zavala, que é o delegado dos produtores no Instituto Nacional do Leite (Inale), disse que estão trabalhando arduamente para encontrar soluções que permitam manter as fazendas leiteiras em pé, no cenário de um setor endividado. “Todos nós temos urgência e ansiedade para tentar fazer as coisas acontecerem, mas haverá progresso”, afirmou. “Serão dados passos firmes e surgirão boas notícias para o setor”, confidenciou Zavala.