Setor de laticínios no Reino Unido mostra progresso na redução de açúcar

08-10-2020 12:40:23 Por: Dairy Reporter, traduzidas pela equipe do MilkPoint

Setor de laticínios no Reino Unido mostra progresso na redução de açúcar
O último relatório de progresso da Public Health England (PHE) sobre redução de açúcar foi publicado, com resultados mostrando reduções nas categorias de iogurtes e bebidas à base de leite. O Relatório da PHE entre 2015 e 2019 mostra a evolução em iogurtes de marcas varejistas e fabricantes, queijos frescos e bebidas à base de leite.

A categoria de iogurtes e queijos frescos - que também incluem alternativas ao leite - registraram a segunda maior redução de açúcar por 100g e a maior redução de calorias por porção única de todas as categorias de alimentos incluídas no programa de redução de açúcar. Também houve queda de 22,1% no açúcar (por 100ml) para as bebidas lácteas pré-embaladas e de 13,4% para as bebidas de iogurte fermentadas pré-embaladas.

Para o teor de açúcar médio simples (g/100ml), houve grandes reduções para bebidas fermentadas pré-embaladas (iogurte) - redução de 26,0% -, leites aromatizados pré-embalados (redução de 21,7%) e bebidas à base de leite pré-embalado (-21,0%).

Os resultados do programa de redução de açúcar em alimentos de marca varejista e fabricante mostraram que iogurtes e queijos frescos obtiveram a segunda maior redução de açúcar, com 12,9% de redução desde 2015, e a maior redução de calorias (para produtos a serem consumidos em uma ocasião única) foi registrado para iogurtes e queijo fresco, com redução de 7,8%. Sorvetes, picolés e sorbets tiveram uma redução de 6,4%.

A categoria de iogurte e queijo fresco foi limitada a produtos entre 100g e 200g. Houve uma redução de 11,2% nas calorias por porção única para bebidas à base de leite pré-embaladas e de 4,1% para bebidas fermentadas pré-embaladas (iogurte). Os números também mostraram aumento nas vendas de sorvetes, picolés e sorbets (alta de 8%), enquanto as vendas de iogurtes e queijos frescos caíram 3,3%.

No setor de alimentação fora do domicílio, houve aumento do teor de açúcar médio simples para milkshakes de 4,1%, mas diminuição de 10,3% do número de calorias passíveis de consumo em uma única ocasião.

Relacionado às mudanças nas vendas de açúcar total médio por 100g por categoria e negócios entre a linha de base (2015) e o ano 3 (2019) para varejistas e produtos de marca do fabricante, houve uma queda geral de 13% na categoria de iogurte e queijo fresco, com quedas na Yoplait de 18%, Danone de 15% e Yeo Valley Farms de 11%. A Müller não deu permissão para que seus produtos fossem avaliados.

Para mudanças na média ponderada de vendas (SWA) e açúcar médio simples por 100ml por categoria e negócios entre a linha de base (2017) e o ano 1 (2019) para varejistas e fabricantes, na categoria de bebidas à base de leite, a Arla Foods viu uma queda de 1%, enquanto a FrieslandCampina não respondeu e a Müller UK e a Irlanda não deram permissão.

Na categoria de iogurtes fermentados, a Danone teve uma redução de 4%, enquanto a Lactalis Nestlé UK não tiveram mudanças. Yakult UK Ltd caiu 2% e Yoplait teve uma redução de 6%.

Em maio de 2018, o suco sem açúcar e as bebidas com leite adoçadas foram incorporados ao programa de redução de açúcar e as diretrizes técnicas publicadas. Todos os setores da indústria foram desafiados a reduzir o açúcar em 5% nas bebidas à base de suco e 20% nas bebidas à base de leite até 2021. As bebidas à base de leite também tinham uma meta provisória de redução de 10% até 2019. Em janeiro de 2019, bebidas fermentadas (iogurte) foram adicionadas ao programa, com uma meta de redução do açúcar de 20% até 2021.

O relatório disse que na categoria de iogurte e queijo fresco, alguns erros estavam presentes nas informações nutricionais para certos produtos, como teor de açúcar implausível. Essa categoria é a única em que um teor mínimo de açúcar de 3,8g por 100g foi acordado devido à presença de lactose natural; todos os produtos com teor de açúcar inferior a este foram excluídos da análise.

Iogurtes naturais e iogurtes sem açúcar foram excluídos da categoria e, portanto, também excluídos da análise. No relatório de progresso, o conteúdo de açúcar, SWAs de açúcar e médias simples para iogurtes são apresentados sem nenhum ajuste para lactose.

Dr. Judith Bryans, presidente-executivo da Dairy UK, disse: “Estes resultados são fantásticos e são um testemunho da dedicação dos processadores de lácteos para reduzir o teor de açúcar de seus produtos e atender às metas. Em particular, o progresso feito na categoria de bebidas à base de leite é incrivelmente impressionante. Mostra a disposição e ambição da indústria em reformular seus produtos, trabalhando em conjunto com a PHE. Estamos ansiosos para trabalhar com os legisladores para construir nesses resultados fortes a esperança de que o espírito de colaboração para alcançar resultados políticos pode continuar.” 

Jo Churchill, Ministra da Saúde Pública, disse: "Na redução do açúcar, especialmente em produtos como cereais matinais, iogurtes e sorvetes, alcançamos alguns progressos muito necessários. Isto tornará mais fácil para que todos possam fazer escolhas mais saudáveis, mas é claro, mais pode ser feito. A COVID-19 destacou a obesidade e como é importante combatê-la. Nossa estratégia para a obesidade inclui medidas de liderança mundiais, como um divisor de águas na TV para anunciar alimentos e bebidas com alto teor de gordura, sal e açúcar. Se mais ações são necessárias para apoiar as pessoas à levarem uma vida saudável, iremos mais longe para ajuda-los".

Dr. Alison Tedstone, nutricionista-chefe da PHE, disse: "Muito açúcar é ruim para a nossa saúde e a maioria de nós estão consumindo mais do que precisamos, muitas vezes sem perceber. Nós continuamos a ver algum progresso na redução de açúcar em uma série de alimentos e bebidas todos os dias e isso mostra que o sucesso é possível através de reformulação. Ainda assim, o progresso geral continua muito lento. Ações mais rápidas e robustas são necessárias para nos ajudar a consumir menos açúcar, auxiliando na saudabilidade e diminuição do fardo econômico da obesidade."