Valorização do concentrado eleva custos da pecuária leiteira

20-10-2020 10:51:47 Por: Rodolfo Jordão, em Boletim do Leite Cepea

Valorização do concentrado eleva custos da pecuária leiteira
O Custo Operacional Efetivo (COE) da pecuária leiteira aumentou 3,57% entre e agosto e setembro na “média Brasil” (BA, GO, MG, PR, RS, SC e SP). No ano, a alta acumulada é de 11,41%. Segundo colaboradores do Cepea, o principal fator influenciador na elevação dos custos da atividade continua sendo a valorização do concentrado. Nos últimos nove meses, o aumento nos preços desse insumo foi de significativos 20,89%. Outro insumo que também elevou os custos de produção foi a suplementação mineral, cujos valores subiram 1,05% na comparação mensal e 9,59% no acumulado do ano.

Os preços dos alimentos concentrados aumentaram 6,54% em setembro, impulsionados pelas valorizações das matérias-primas. Considerando-se o Indicador ESALQ/BM&FBovespa da soja em Paranaguá (PR), o avanço foi de 9,81% de agosto para setembro. Para o milho, o Indicador ESALQ/BM&- FBOVESPA registrou aumento de 6,08% no mesmo período. Os estados que tiveram as maiores altas nos custos de concentrado em setembro foram Rio Grande do Sul (10,87%) e Minas Gerais (8,38%).

Os preços da suplementação mineral registraram elevação de 1,05% na “média Brasil” em setembro, com destaque para Minas Gerais e Goiás, onde as altas foram de 2,21% e de 2,09%, respectivamente – esses aumentos refletem o dólar fortalecido frente ao Real.

Apesar da forte alta de 9,74% no preço do leite em setembro, considerando-se a “média Brasil”, a relação de troca do leite por milho seguiu próxima dos 28 litros/saca de 60 kg, praticamente estável em relação aos dois meses anteriores.