Diminuir rebanho leiteiro tem pouco resultado contra efeito estufa e compromete nutrição das pessoas Diminuir rebanho leiteiro tem pouco resultado contra efeito estufa e compromete nutrição das pessoas

21-10-2020 11:41:50 - Por: Eurekalert, traduzidas pela Equipe MilkPoint

Indústria de laticínios dos EUA contribui com cerca de 1,58% do total das emissões de gases de efeito estufa.

Diminuir rebanho leiteiro tem pouco resultado contra efeito estufa e compromete nutrição das pessoas
A indústria de laticínios dos EUA contribui com cerca de 1,58% do total das emissões de gases de efeito estufa dos EUA. No entanto, também supre as necessidades proteicas de 169 milhões de pessoas, de cálcio de 254 milhões de pessoas e de energia de 71,2 milhões de pessoas.

Uma solução sugerida para aumentar a produção de alimentos em todo o mundo e, ao mesmo tempo, reduzir as emissões de gases de efeito estufa, foi eliminar ou reduzir a produção animal em favor da produção vegetal. Em um artigo publicado no Journal of Dairy Science, cientistas da Virginia Tech e do US Dairy Forage Research Center estudaram os efeitos da suspensão da produção de leite nas emissões de gases de efeito estufa e na disponibilidade de nutrientes nas dietas dos EUA em vários cenários.

Os autores deste estudo avaliaram três cenários: despovoamento, manejo atual (exportação de laticínios) e retirada. No despovoamento, os consumidores parariam de consumir laticínios, resultando no despovoamento dos animais; no manejo atual (exportação de laticínios), o manejo do gado permaneceria o mesmo e o leite produzido seria utilizado para outros produtos que não a alimentação humana ou exportado para consumo humano; na retirada, o gado seria retirado para um sistema baseado em pastagem, mas reduzido a números que pudessem ser sustentados por pastagens disponíveis.


"O uso da terra foi um foco em todos os cenários de remoção de animais porque as suposições em torno de como usar a terra disponibilizada se removermos o gado leiteiro influenciam muito os resultados das simulações", disse o investigador principal Robin R. White, PhD, Departamento de Ciência Animal e Avícola, Virginia Tech, Blacksburg, VA, EUA. "Se o gado leiteiro não estiver mais presente na agricultura dos Estados Unidos, devemos considerar os efeitos posteriores, como manejo de pastagens e terras de grãos anteriormente usadas para a produção de alimentos para os animais, disposição de alimentos derivados de subprodutos e fertilizantes."

As emissões de gases de efeito estufa permaneceram inalteradas no atual cenário de manejo (exportação de laticínios), com redução no fornecimento de nutrientes, conforme esperado. As emissões diminuíram 11,97% para o cenário de retirada e 7,2% para o cenário de despovoamento em comparação com as emissões atuais. Todos os 39 nutrientes considerados na qualidade da dieta humana diminuíram para o cenário de retirada e, embora 30 dos 39 nutrientes tenham aumentado para o cenário de despovoamento, vários nutrientes essenciais diminuíram.


Os resultados do estudo sugerem que a remoção da produção leiteira do agronegócio dos Estados Unidos reduziria apenas em 0,7% as emissões de gases de efeito estufa e diminuiria o fornecimento de nutrientes essenciais para a população humana.

O professor White acrescentou: "A produção de alguns nutrientes essenciais, como cálcio e muitas vitaminas, diminuiu em todos os cenários de realocação para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, tornando os cenários de remoção de laticínios sub-ótimos para alimentar a população dos EUA."

Este estudo ilustra as dificuldades em aumentar o fornecimento de nutrientes críticos e ao mesmo tempo diminuir as emissões de gases de efeito estufa.