Cotações dos derivados lácteos recuaram em outubro

18-11-2020 09:53:10 Por: Débora Zanatta e Beatriz Pina, em Boletim do Leite Cepea

Cotações dos derivados lácteos recuaram em outubro
Depois de registrarem consecutivas altas entre maio e setembro, as cotações dos derivados lácteos recebidas pelas indústrias recuaram em outubro, devido à maior pressão dos canais de distribuição por preços mais atrativos. Agentes consultados pelo Cepea afirmaram que as negociações mais truncadas em outubro se deram pela dificuldade da demanda em absorver a valorização dos lácteos, que atingiram patamares muito elevados nos últimos meses. Destaca-se, no entanto, que os estoques seguiram limitados, tendo em vista a baixa oferta de leite no campo, em função do menor volume de chuvas no período.

De acordo com as pesquisas realizadas pelo Cepea, com o apoio financeiro da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), os preços do leite longa vida, do queijo muçarela e do leite em pó (400g) comercializados no atacado de São Paulo recuaram 11,4%, 8,4% e 0,9% de setembro para outubro, respectivamente.


Ainda assim, as cotações permaneceram em patamares elevados quando comparadas às do mesmo período do ano anterior. O leite UHT foi negociado na média de R$ 3,14/litro em outubro, aumento real de 28,3% em relação à de outubro/19. O queijo muçarela e o leite em pó (400g) tiveram médias de R$ 26,75/ kg e de R$ 24,31/kg, respectivamente, sendo 28,3% e 45,1% acima das verificadas em outubro de 2019 (os valores foram deflacionados pelo IPCA de outubro/20).

NOVEMBRO – Pesquisas do Cepea apontam que, na primeira quinzena de novembro, a demanda por derivados seguiu enfraquecida. As médias parciais para novembro (considerando dados até 13/11) foram de R$ 2,95/litro para o leite UHT, de R$ 25,07/kg para o queijo muçarela e de R$ 23,47/kg para o leite em pó (400g), valores 6,2%, 5,8% e 3% menores que as respectivas médias mensais de outubro/20. Agentes consultados pelo Cepea informaram, contudo, que os estoques de derivados seguiram reduzidos, o que pode limitar o movimento de queda e/ou sustentar as cotações na segunda quinzena do mês.