Pecuaristas do Norte de Minas aumentam produção de leite

23-11-2020 11:45:29 Por: SISTEMA FAEMG

Pecuaristas do Norte de Minas aumentam produção de leite
O Programa ATeG AgroNordeste tem mudado a paisagem e o panorama da atividade leiteira da região Norte de Minas. Coordenado pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES em parceria com Sindicatos dos Produtores Rurais, ele está atendendo cerca de 300 pecuaristas de leite nos municípios de Brasília de Minas, Grão Mogol, Januária, Lontra, Francisco Sá, Icaraí de Minas, Janaúba, Januária, Juvenília, Montes Claros, Manga, Porteirinha, São Francisco, São João da Ponte e Ubaí.

Adequação à seca

Em Manga, a fazenda Primavera vem obtendo resultados satisfatórios na produção diária de leite, com aumento de cerca de 33% na produção, que foi de 1.200 litros/dia para 1.600 litros/dia. Em 240 dias de assistência técnica, a média de produção por animal passou de 18 para 23 litros/dia, sendo as melhores vacas com produção de até 30 litros/dia.

Segundo o proprietário da fazenda, Hélio Seixas Dourado, a seca sempre foi um problema para os produtores da região, que em alguns meses do ano não têm pastagem em abundância para o gado. Por isso, ele foi se adequando às necessidades do manejo da pecuária de leite e há dez anos trabalha com o pastejo irrigado.


“O AgroNordeste veio trazer uma melhora para minha produção. Sob a orientação do técnico Carlos César Rodrigues dos Santos, detectamos uma deficiência nutricional da forrageira por questões de infertilidade do solo. Já melhoramos a adubação com o uso do esterco da forma correta. Retiramos as vacas de produção de período elevado, entrando com vacas de bezerros novos, fazemos controle leiteiro, divisão de lotes, dieta mais concentrada para vacas de maior produção e já estamos conseguindo melhoria. Com certeza a presença do técnico está somando muito”, disse Hélio.

Aumento de 100%

José Bráz Sobral também é assistido pelo AgroNordeste. Ele deixou as atividades de comerciante e professor em um pequeno distrito de Manga para se dedicar à atividade rural. Ele, a esposa Marcelina e o filho Kedsom estão trabalhando na atividade leiteira em regime da agricultura familiar. No programa desde março, já conseguiram elevar a produção de leite de 4 litros/dia por vaca para 6,5 litros/dia no período de seca, produção 100% maior que no mesmo período do ano passado, quando não contavam com a assistência técnica.

Segundo o técnico Carlos César, a expectativa da família é de um crescimento ainda maior nos próximos meses. Eles estão realizando melhorias na alimentação das vacas com da renovação das pastagens para volumoso e fornecimento de concentrados. A meta do produtor é chegar a pelo menos 10 litros de leite/dia. E, mais a frente, comprar mais vacas.


Desafios e satisfação

Para o técnico, que veio do SENAR de Rondônia, onde o maior produtor de leite atendido por ele tinha produção de 400 litros/dia, trabalhar com um grupo tão diversificado no Norte de Minas está sendo muito desafiador, mas prazeroso. “Os desafios são muitos, como iniciar o trabalho no fim do período chuvoso, o início da pandemia da Covid-19 e época de aumento dos custos dos insumos. Mas também temos na minha área de atuação boa qualidade de solo, rios e riachos dentro da maioria das propriedades, o que facilita o trabalho, proporciona menores gastos com insumos e melhor qualidade da produção. E o mais importante, a vontade dos produtores em melhorar sua produção,” finalizou.