Unidade Aimoré, da Cooperativa Dália Alimentos, encerra produção de leite UHT

11-12-2020 11:50:46 Por: Assessoria de Imprensa Cooperativa Dália Alimentos. Foto: Carina Marques e Acervo Dália Alimentos

Unidade Aimoré, da Cooperativa Dália Alimentos, encerra produção de leite UHT
Depois de 24 anos operando na industrialização de leite, a Unidade Aimoré de Lácteos da Cooperativa Dália Alimentos, localizada na Avenida Presidente Vargas, nº 330, no Bairro Aimoré, em Arroio do Meio, cessou as atividades ligadas à industrialização de leite UHT no dia 23 de novembro. O encerramento vinha sendo planejado há alguns anos e visa centralizar toda a produção no Complexo Lácteo em Palmas, adequado para absorver também a produção do Aimoré, isto é, toda a produção de leite UHT da Dália Alimentos.

A indústria na localidade de Palmas foi inaugurada em junho de 2012, com operação inicial focada somente na fabricação de leite em pó e hoje, após oito anos, a produção é de 460 mil litros de leite em pó por dia. Em 2014 foi introduzida a primeira linha de leite UHT e, logo após, a segunda, sendo que no segundo semestre deste ano essas linhas foram substituídas por duas de envase para a embalagem na versão Edge, com tampa rosca. O creme de leite UHT começou a ser industrializado no ano de 2014, tendo capacidade instalada nominal de 36 toneladas diárias, o equivalente a 180 mil unidades de 200 gramas por dia. A capacidade instalada de recebimento de leite do complexo é de 1,1 milhão de litros de leite diários, sendo o recebimento atual de 750 mil litros/dia.

Quanto à unidade no Bairro Aimoré, em 2019 a área administrativa já havia sido incorporada ao Complexo Lácteo em Palmas, assim como vários funcionários do laboratório e da indústria. Neste ano optou-se pelo encerramento da produção de leite UHT, com o objetivo de utilizar a estrutura do Aimoré para armazenamento e estocagem de leite, devido à ampla área física disponível. O local tem capacidade para alocar 3.576 paletes, o equivalente a 3,6 mil litros de leite. A planta do Bairro Aimoré permanecerá funcionando como depósito e também com a produção de nata. Uma parte dos funcionários foi remanejada para a o Complexo em Palmas e outra optou pelo desligamento.

Conforme o gerente industrial da Divisão Produtos Lácteos (DPL), Antonio Salazar, a Dália Alimentos possui novos projetos para 2021 e alguns destes funcionários desligados terão a possibilidade de retornar à cooperativa. “O encerramento deste ciclo de produção na Unidade do Bairro Aimoré fazia parte do planejamento da Dália e teve a sua execução iniciada em dezembro passado com a instalação da primeira máquina de envase com tampa rosca no Complexo em Palmas. Agora, finalizamos mais uma etapa, com a liberação da segunda máquina e foco em absorver todo o processo nesta indústria moderna e construída com este propósito”.


Segundo o presidente Executivo, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, a produção de leite UHT evolui constantemente, principalmente em relação à qualidade e às embalagens, que necessitam de máquinas exclusivas e adequadas. Portanto, se desejamos evoluir em qualidade e apresentação do produto, é natural que processos industriais com ciclos mais antigos sejam desativados. É o que ocorreu na Unidade Aimoré, que teve a produção de leite UHT Base extinta. Por outro lado, a Unidade em Palmas iniciou um processo produtivo de leite UHT com máquinas mais modernas da Tetra Pak, com tampa rosca e com um ângulo de inclinação adequado para que o leite jorre da caixa para o copo com a maior perfeição possível. Então, a inovação não se restringe à tampa rosca, mas também ao deslize harmonioso do leite para fora da caixa, mesmo que essa condição passe despercebida pelo consumidor.”

História - Em 1965, quando a Dália Alimentos completou 18 anos de fundação, incorporou a atividade leiteira a de suínos, como alternativa aos associados, pois na época, o leite oferecia rendimento superior à suinocultura. A capacidade inicial na indústria do Bairro Aimoré era de cinco mil litros de leite por dia, rapidamente esgotada, o que motivou a construção de uma nova unidade.

Em 1996 teve início a produção de leite UHT, sendo a Dália uma das primeiras cooperativas do Rio Grande do Sul a industrializar leite. Neste mesmo ano foi adquirida a primeira máquina para envase de leite da marca Tetra Pak, com capacidade para apenas seis mil litros de leite por hora e, com o avanço da demanda, outras três foram adquiridas, as quais encerraram sua jornada somente no dia 23 de novembro. Em um comparativo atualizado, as máquinas Tetra Pak instaladas no Complexo Lácteo em Palmas chegam a envazar 30 mil litros de leite por hora, o equivalente a 550 mil litros de leite por dia.


Depoimento emocionante - Em sua conta pessoal no Facebook, Marno Kramer deixou um depoimento emocionado sobre os 24 anos que esteve trabalhando na cooperativa e recordou de momentos felizes vividos na indústria do Bairro Aimoré: “A data de hoje ficará guardada para sempre na minha memória, afinal, foram quase 24 anos de trabalho na mesma empresa e a despedida sempre é difícil. Mas é momento de agradecer à Dália por todo aprendizado e conhecimento que adquiri nestes anos. Foram muitos desafios, alguns tropeços, mas também muitas vitórias. Realizei muitos sonhos durante esses anos, a conquista da casa própria, o casamento e a chegada dos meus quatro filhos. Momento de agradecer a Deus e a todos que conviveram e confiaram no meu trabalho nessa longa jornada. Fecha-se um ciclo em minha vida e ficam as boas lembranças e as amizades. Obrigado a todos!”