Valorização do concentrado em 2020 supera os 40%

18-12-2020 10:11:42 Por: Rodolfo Jordão, em Boletim do Leite Cepea. Foto: Paulo Lanzetta/Embrapa

Valorização do concentrado em 2020 supera os 40%
O COE (Custo Operacional Efetivo) da pecuária leiteira subiu 5,39% em novembro na “média Brasil” (BA, GO, MG, PR, RS, SC e SP). Com isso, o avanço nos custos no acumulado de 2020 (até novembro) foi de 21,86%. O insumo que mais tem influenciado a elevação dos custos leiteiros é o concentrado. Nos 11 primeiros meses de 2020, este insumo registra expressiva valorização de 40,84%, também na “média Brasil”.

Em novembro, especificamente, os preços dos alimentos concentrados aumentaram 8,88%, influenciados pelos avanços nos valores da soja e do milho, matérias-primas para produção do insumo.

O Indicador ESALQ/BM&FBovespa Paranaguá (PR) da soja teve média de R$ 164,99 em novembro, sendo este recorde real da série do Cepea e com aumentos de 3,4% sobre outubro/20 e de expressivos 83,6% em relação a novembro/19 (comparação em termos nominais). No caso do milho, o Indicador ESALQ/BM&- FBovespa (Campinas – SP) teve média de R$ 80,31 em novembro, aumento de 10,45% sobre o de outubro.


Outro insumo que subiu com certa força em 2020 foi a suplementação mineral – em novembro, a elevação foi de 1,4% e no ano, de quase 12%, ambos na “média Brasil”. Dentre os estados acompanhados, Goiás e São Paulo se destacam com as altas mais intensas nos preços da suplementação em novembro, de 7,04% e de 4,13%, respectivamente.

Esse cenário atrelado à queda de 5,34% no preço do leite em novembro (média Brasil) resultaram em piora na relação de troca de produtores pelo segundo mês seguido. Em novembro, foram necessários 39,3 litros de leite para a compra de uma saca de milho de 60 kg, contra 33,68 litros de leite em outubro.