Produção de leite na UE continuará crescendo, mas em ritmo mais lento

18-12-2020 10:37:04 Por: Agrodigital, traduzidas pela Equipe MilkPoint

Produção de leite na UE continuará crescendo, mas em ritmo mais lento
A produção de leite na UE poderia crescer a uma taxa moderada de 0,6% ao ano entre 2020 e 2030, que é uma taxa de crescimento mais lenta do que no passado. A produção em 2030 está estimada em 162 milhões de toneladas, de acordo com dados do Relatório de Previsões Agrícolas na UE em 2020-30, que a Comissão Europeia acaba de publicar.

Em 2010-2020, o aumento na produção de leite foi em torno de 20% (7.400 kg/vaca em 2020). Nesta década, o rendimento médio da UE deve continuar a aumentar, mas a um ritmo mais lento (cerca de 12%) para 8.300 kg/vaca. Este crescimento irá diminuir gradualmente as diferenças de produtividade entre os Estados-Membros da UE.

O menor crescimento do rendimento projetado (1,4% ao ano) em comparação com os anos anteriores deve-se, em certa medida, a uma maior segmentação. Espera-se que a proporção da produção de leite orgânico seja de 10% em 2030 (3,5% em 2018), mas outros sistemas também podem ganhar (por exemplo, à base de pasto, à base de feno, sem OGM). Apesar da diversificação, espera-se uma redução no censo leiteiro. Estima-se um rebanho leiteiro de 19,2 milhões de cabeças em 2030 (7% abaixo de 2020).


Comércio - Espera-se que a UE continue sendo o maior exportador de lácteos do mundo, já que o crescimento da população e da renda pode aumentar a demanda global por lácteos, apesar da crescente autossuficiência em todo o mundo. A indústria de queijo deverá se beneficiar ao máximo com o leite adicional produzido, impulsionado pela demanda doméstica e global. Espera-se que a UE represente 49% das exportações mundiais de queijo em 2030. No caso da manteiga, após preços historicamente elevados em 2017-2018 na UE, espera-se uma estabilização entre 2020 e 2030, apoiada pelo aumento das vendas varejistas na UE e uma demanda estável de exportação.

Consumo - O consumo per capita de iogurte e creme deve permanecer estável. Já o iogurte vem enfrentando concorrência crescente de produtos lácteos alternativos que estão ganhando popularidade (por exemplo, skyr). O consumo de leite fluido tende a diminuir, mas a um ritmo mais lento do que nos últimos dez anos (-0,7%), graças à segmentação dos sistemas de produção.