Governo chinês anuncia nova estratégia para desenvolver indústria de lácteos local

28-01-2021 09:12:41 Por: Dairy Reporter. Traduzidas e adaptadas pela equipe MilkPoint.

Governo chinês anuncia nova estratégia para desenvolver indústria de lácteos local
O governo chinês anunciou uma nova estratégia de três anos para desenvolver ainda mais a indústria de laticínios local, com ênfase no fortalecimento da P&D, bem como na governança mais rígida para suprimir as preocupações remanescentes de segurança alimentar e impulsionar a reputação do setor. A estratégia, chamada de Plano de Ação para Melhoria da Segurança e Qualidade dos Produtos Lácteos, foi anunciada pela Administração Estatal da China para Regulamentação do Mercado (SAMR) e é a última das muitas tentativas do país para motivar os consumidores locais a aumentar o consumo de lácteos, incluindo a formulação de diretrizes de consumo para este último ano.

“Embora o nível geral de qualidade e segurança dos produtos lácteos tenha aumentado nos últimos anos, esta estratégia foi formulada porque ainda existem vários problemas que assolam a indústria de lácteos e que precisam ser resolvidos, para que atinja o potencial máximo”, disse o SAMR por meio de declaração formal.


“Essas questões incluem a falta de capacidade de pesquisa independente no setor privado levando a baixa competitividade e a má gestão contínua da segurança dos alimentos, que também continua afetando a reputação da indústria. A meta da estratégia, a ser implementada até 2023, é direcionar essas áreas problemáticas e atingir os objetivos incluindo um sistema otimizado de regulamentação e padrões de qualidade e segurança do leite, com capacidades de supervisão aprimoradas de modo que 100% de todos os problemas dos lácteos possam ser detectados e retificados em tempo hábil”.

"Outras metas para os participantes da indústria de lácteos, incluem uma taxa de auto-inspeção de segurança alimentar de 100% de eficiência, detecção de risco e taxa de relatório de 100% de eficiência e implementação do sistema de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC) em 100%."

A estratégia enfatizou os planos do governo de revisar os atuais regulamentos e padrões que regem a indústria de laticínios, particularmente na área de segurança alimentar, de modo a construir um "sistema regulatório mais científico e sensível".

“Prioritário será a revisão dos padrões nacionais de segurança alimentar para leite cru, leite esterilizado, leite pasteurizado e fórmula infantil, bem como a formulação e aprimoramento da tecnologia de processamento e padrões de teste”, disse SAMR.

O outro aspecto regulatório que a agência está procurando explorar é o de "co-governança social" — essencialmente um sistema que recompensará denunciantes ou qualquer pessoa que descobrir "riscos ocultos para a segurança alimentar" e apontá-los.

“Uma das principais medidas que estaremos considerando para fortalecer os produtos lácteos e o monitoramento da segurança é promover ativamente a co-governança social — isso incluirá a abertura de canais para reclamações e denúncias e o aumento das recompensas para tais denúncias”, disse.

“A ideia é estimular todos os setores da sociedade, principalmente o pessoal interno do setor lácteo, a mídia, os consumidores etc. para relatar ou fornecer pistas sobre questões de qualidade e segurança de produtos lácteos e expor atividades ilegais de empresas, e encorajar as empresas a estabelecer um sistema de recompensa para funcionários internos que descobrirem riscos ocultos de segurança alimentar para que possam melhorar e expor a reputação do setor.”


P&D como foco principalNo fortalecimento das capacidades de pesquisa de lácteos, o governo visa fornecer mais orientação para que as empresas de laticínios conduzam melhor P&D, tanto em termos de inovação de produtos quanto de utilização de tecnologia.

“Em termos de tecnologia, primeiro é necessário que as empresas locais de lácteos fortaleçam as instalações de armazenamento e transporte da cadeia de frio, com a capacidade de garantir o monitoramento da temperatura para garantir a segurança e a qualidade do produto”, disse SAMR. “Para este fim, queremos orientar as empresas a aumentar o investimento em sistemas de digitalização e rastreabilidade já que esta é a única maneira de alcançar a rastreabilidade total do produto e aumentar a confiança do consumidor nos produtos lácteos.”

Quanto à inovação de produtos, as áreas de foco serão no desenvolvimento de variedades de laticínios de alta qualidade e métodos de processamento para otimizar o desenvolvimento de produtos de maior valor agregado. “Também é importante observar o desenvolvimento de produtos representativos para empresas para aumentar sua competitividade com base no conceito ‘Be Bigger Be Stronger’ [do presidente Xi Jinping]”, disse SAMR.


Tarifas reduzidas para produtos lácteosAlém dos esforços locais para impulsionar a indústria de laticínios, o governo chinês também anunciou recentemente que reduziria ou retiraria as tarifas cobradas sobre certas importações — incluindo lácteos - em um esforço para aumentar as importações e o abastecimento local.

De acordo com documentos divulgados pela Comissão de Tarifas Aduaneiras da China, essas taxas seriam ainda mais baixas do que aquelas dadas às Nações Mais Favorecidas (NMF), e os países beneficiários na região APAC incluem Nova Zelândia, Austrália, Coreia do Sul e Paquistão com base em acordos bilaterais com esses países.

Uma ampla gama de produtos lácteos desses países terá tributação reduzida — por exemplo, queijos de países NMF normalmente recebem um imposto de 12%, mas com base nos novos acordos, queijos do Paquistão são tributados apenas 6%, da Coreia do Sul em 6,4% e Austrália em 3,6%. O queijo da Nova Zelândia teve todos os impostos sobre ele removidos, então as importações para a China terão 0% de taxação.