Leite/Cepea: Com demanda retraída, preços caem em janeiro

28-01-2021 14:35:45 Por: Natália Grigol e Juliana Santos, Cepea-Esalq/USP. Foto: Renata Silva/Embrapa

Leite/Cepea: Com demanda retraída, preços caem em janeiro
Pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, apontam que o preço do leite captado em dezembro de 2020 e pago aos produtores em janeiro de 2021 registrou queda de 4,3% na “Média Brasil” líquida, chegando a R$ 2,0344/litro. Ainda assim, o valor é 42,6% maior do que o registrado em janeiro de 2020 e representa um novo recorde para este mês.

A desvalorização do leite no campo esteve atrelada à maior pressão dos canais de distribuição junto às indústrias, uma vez que a demanda se enfraqueceu consideravelmente durante dezembro e janeiro. Colaboradores consultados pelo Cepea informaram que, diante da instabilidade do consumo, há um esforço das indústrias em ajustar a produção para manter os estoques controlados, de modo a evitar quedas mais bruscas de preços. Pesquisas do Cepea, com apoio financeiro da OCB, apontaram muita oscilação de preços dos derivados lácteos ao longo de dezembro e a consolidação da tendência de queda nas cotações em janeiro. Esse cenário se justifica pela redução da demanda agregada, diante da perda do poder de consumo do brasileiro – devido à pandemia, ao fim do auxílio emergencial e à alta do desemprego. Esses fatores devem continuar desacelerando o consumo de lácteos nos próximos meses – o que, por sua vez, tende a pressionar as indústrias a diminuírem os patamares de preços do leite pagos aos produtores.

Gráfico 1. Série de preços médios recebidos pelo produtor (líquido), em valores reais (deflacionados pelo IPCA de dezembro/2020)
Preço do leite Cepea janeiro 2021
Fonte: Cepea-Esalq/USP.

Apesar de haver uma perspectiva de queda nos preços do leite no campo para fevereiro e março, espera-se que a média neste primeiro trimestre em 2021 ultrapasse a registrada no mesmo período de 2020, quando foi de R$ 1,4655/litro, em termos reais (os valores foram deflacionados pelo IPCA de dezembro/20).

A pesquisa do Cepea ainda aponta que, em dezembro, a captação das indústrias cresceu 1,26% frente ao mês anterior, de acordo com o Índice de Captação Leiteira (ICAP-L), puxada pelos respectivos aumentos de 4,6% e de 4,0% em Santa Catarina e em São Paulo. Para agentes do setor, o incremento na produção de leite, que é típico do período, tem se dado de forma mais lenta, em decorrência do aumento dos custos de produção.

Assim, mesmo que os preços do leite estejam em patamares considerados altos para o período do ano, a valorização considerável e contínua dos grãos (principais componentes dos custos de produção da pecuária leiteira) tem comprometido a rentabilidade do produtor e limitado o potencial de crescimento da atividade.

Pesquisas do Cepea mostram que, a relação de troca média em 2020 foi de 34,3 litros de leite para a aquisição de uma saca de milho de 60 kg, aumento de 21,8% em relação a 2019, quando eram precisos 28,2 litros para realizar a mesma troca. A expectativa para janeiro é que essa relação ultrapasse os 40 litros.

Preços do leite pagos ao produtor no mês de Janeiro/2021

Preço do leite Cepea janeiro 2021

Cotações de leite cru - Preços pagos pelos laticínios e recebidos pelos produtores (líquido) em Janeiro/21 referentes ao leite entregue em Dezembro/20 nos estados que compõem e não compõem a “Média Brasil”. Dados deflacionados pelo IPCA de Dezembro de 2020. A “Média Brasil” líquida contém os preços de BA, GO, MG, SP, PR, SC e RS ponderados pelos seus respectivos volumes de negociação, sem considerar frete ou impostos. Demais estados RJ, ES, MS, CE e PE não estão incluídos na “Média Brasil”.