Apesar de produção recorde, cotações do milho seguem em alta

19-03-2021 12:43:15

Apesar de produção recorde, cotações do milho seguem em alta
Os preços do milho registraram elevação na primeira quinzena de março, apesar do bom andamento da colheita da safra verão e da expectativa de recorde na produção brasileira 2020/21. De modo geral, as negociações se mantiveram pontuais na maior parte do período, refletindo a retração de vendedores, que seguem fundamentados na atual baixa disponibilidade. Além disso, compradores retornaram ao mercado, mas encontraram dificuldades na recomposição de estoques.

Na região consumidora de Campinas (SP), referência para o Indicador ESALQ/ BM&FBovespa, entre 26 de fevereiro e 15 de março, as cotações avançaram expressivos 7,9%, fechando a R$ 92,17/saca de 60 kg no dia 15. Na média das regiões acompanhadas pelo Cepea, os valores subiram 4,2% no mercado de balcão (pago ao produtor) e 4,9% no de lotes (negociações entre empresas) na parcial de março.


Dados divulgados pela Conab em 8 de março mostram que a produção nacional de milho em 2020/21 pode somar 108,7 milhões de toneladas, 5,4% superior à safra anterior e um recorde. Esse cenário é resultado do aumento na área da primeira e segunda safras de 2020/21, além da utilização de novas tecnologias, que acabaram amenizando os impactos do clima e dos atrasos na semeadura, especialmente na segunda temporada.

As informações são da Carolina Camargo Nogueira Sales, em Boletim do Leite Cepea.